Inoculação de Azospirillum brasilense em cultivares de feijões cultivados no inverno

Douglas Castilho Gitti, Orivaldo Arf, Flávio Hiroshi Kaneko, Ricardo Antonio Ferreira Rodrigues, Salatiér Buzetti, José Roberto Portugal, Daiene Camila Dias Chaves Corsini

Resumo


O maior potencial produtivo das culturas, a demanda por alimentos e a recuperação de áreas degradadas aumentam a demanda pelos fertilizantes minerais no Brasil, elevando seu preço. A utilização de organismos fixadores de nitrogênio atmosférico pode contribuir com o fornecimento de todo ou parte deste nutriente às plantas, reduzindo custos de produção e proporcionando sustentabilidade a produção agrícola. Assim, o trabalho teve como objetivo avaliar o desenvolvimento, componentes de produção e produtividade de grãos de feijões tipos especiais na presença e ausência da inoculação de sementes com Azospirillum brasilense (estirpe AbV5 e AbV6) e o fornecimento de nitrogênio. O trabalho foi desenvolvido no município de Selvíria, Mato Grosso do Sul, Brasil, no período de inverno de 2011. Concluiu-se que: na ausência do fornecimento de nitrogênio em cobertura a inoculação de sementes com Azospirillum brasilense proporcionou maior teor de N foliar e não influenciou o desenvolvimento de plantas, os componentes de produção e a produtividade de grãos dos feijões avaliados; o fornecimento de 60 kg ha-1 de N em cobertura na forma de uréia proporcionou os maiores valores no desenvolvimento das plantas, componentes de produção e produtividade de grãos dos feijões avaliados e, entre os feijões do tipo de grãos preto, o cultivar ETA 15 obteve a maior produtividade de grãos.


Palavras-chave


Azospirillum brasilense; Phaseolus vulgaris L.

Texto completo:

PDF


Revista Agrarian
ISSN da versão impressa: ISSN 1984-252X (Cancelada)
ISSN da versão online: ISSN 1984-2538

 

Licença Creative Commons

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.