Efeitos de métodos de superação de dormência em sementes de pinha (Annona squamosa L.)

Miguel Lara Menegazzo, Alessandra Conceiçao Oliveira, Stela Maris Kulczynski, Elisângela Aparecida da Silva

Resumo


A pinha é propagada por sementes e enxertia, sendo que as sementes dessa espécie apresentam substâncias inibidoras de germinação que, conjuntamente com um tegumento resistente e impermeável dificultam a germinação. Este trabalho foi conduzido na área experimental do curso de Agronomia, da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, com o objetivo de avaliar os efeitos de métodos químicos, físicos e mecânicos de superação de dormência em sementes de pinha. O experimento foi realizado em delineamento de blocos inteiramente casualizados, sendo os tratamentos compostos por oito métodos de superação de dormência e a testemunha. Os métodos foram: imersão das sementes em ácido giberélico (100 ppm por 24 horas e 250 ppm por 5 horas), ácido sulfúrico concentrado (5, 10 e 15 minutos), água quente (30ºC e 60ºC) por um minuto, escarificação com lixa e testemunha. As avaliações constaram de germinação (%), altura de plântula (cm), comprimento de raiz (cm), massa verde da parte aérea e da raiz (g), massa seca da parte aérea e da raiz (g). Os dados foram submetidos à análise de variância e as médias comparadas pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade. Verificou-se que o ácido giberélico (100 ppm por 24 horas e 250 ppm por 5 horas) proporcionou maior porcentagem de germinação e melhor desenvolvimento de plântulas.

Palavras-chave


fruta do conde; qualidade fisiológica; propagação

Texto completo:

PDF


Revista Agrarian
ISSN da versão impressa: ISSN 1984-252X (Cancelada)
ISSN da versão online: ISSN 1984-2538

 

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.