Variabilidade genética de populações oriundas do cruzamento de algodão branco e colorido para melhoria de qualidade de fibra no norte de Minas Gerais

Cristina Pinto Juhasz, Aurinelza BatistaTeixeira Condé, Hudson de Oliveira Rabe, Samy Pimenta, Bruno Oliveira Soares

Resumo


Com o objetivo de melhorar a qualidade de fibra do algodão colorido, para a região norte de Minas Gerais, foram realizadas hibridações entre quatro genótipos coloridos e seis de fibra branca com qualidade superior. Foram avançadas cinco gerações de 32 populações obtidas e avaliadas quatro características agronômicas, 22 descritores vegetativos e seis características relacionadas a qualidade de fibra destas populações. Houve variabilidade genética para 20 dos descritores utilizados, como para características de folhas, flor, maçã e capulhos de algodão, exceto para localização de nectários e para cor de corola. Formaram-se quatro grupos divergentes para as características quantitativas avaliadas, de acordo com o método de agrupamento do UPGMA, quando considerado 70 % de dissimilaridade genética. De acordo com todas as características avaliadas, foram identificadas quatro populações de fibras coloridas superiores às demais, promissoras ao programa de melhoramento genético do algodoeiro desenvolvido pela EPAMIG, adaptado a esta região de cultivo.


Palavras-chave


Diversidade genética, Gossypium hirsutum, hibridação controlada, melhoramento genético

Texto completo:

PDF


Revista Agrarian
ISSN da versão impressa: ISSN 1984-252X (Cancelada)
ISSN da versão online: ISSN 1984-2538

 

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.