Estimativa da área foliar de seringueira usando o método das dimensões

Aurélio Antas Miguel, Luiz Edson Motta de Oliveira, Alessandro Carlos Mesquita, Paulo Araquém Ramos Cairo, Lisandro Tomas da Silva Bonome, Davi Melo de Oliveira

Resumo


A área foliar da seringueira é a verdadeira medida de seu potencial fotossintetizante, e consequentemente, da produção de látex. O objetivo deste estudo foi adaptar, para seringueira, um método para estimativa da área foliar. Para melhor caracterização, foi feita uma subdivisão dos estádios foliares da seringueira em: B2,1; B2,2; B2,3; B2,4; C1; C2; C3 e D. Os estádios A e B1 foram desconsiderados por não apresentarem superfície foliar aparente. Para cada subestádio avaliado foi determinado um fator de forma “f”, por meio da análise de regressão entre os valores do produto do comprimento pela largura das folhas (C x L) e os valores da área medida pelo método da fotocópia (área real). Posteriormente, foi realizada uma nova regressão entre os valores da área estimada (C x L x f) e os valores da área real, para testar a validade e a precisão do fator “f” na estimativa da área foliar de seringueira. Foram determinados fatores para cada subestádio isoladamente e, ao final, foi determinado um fator único, independentemente dos subestádios e das proporções em que estes se encontravam na planta. Pode-se estimar a área foliar da seringueira, a partir da medida das dimensões de suas folhas, com o uso de apenas um fator de correção sem prejudicar a precisão.

Texto completo:

PDF


Revista Agrarian
ISSN da versão impressa: ISSN 1984-252X (Cancelada)
ISSN da versão online: ISSN 1984-2538

 

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.