Imagens digitais na análise do uso da terra de uma microbacia como subsídio ao desenvolvimento sustentável

Sérgio Campos, Teresa Cristina Tarlé Pissarra, Flávia Mazzer Rodrigues, Mariana Garcia da Silva, Muriel Cicatti Emanoeli Soares, Marina Granato, Raquel Cavasini, Katiuscia Fernandes Moreira

Resumo


Este trabalho visou discriminar, mapear e quantificar as áreas de uso da terra da microbacia do Ribeirão Monte Belo - Botucatu (SP), obtido por imagens digitais. As bases cartográficas foram a carta planialtimétrica, editada pelo IBGE (1969) e as imagens de satélite LANDSAT – 5 e 7, passagens de 21/01/1999, 08/01/2003 e 23/10/2006. O software Idrisi Andes 15.0 foi utilizado para conversão da informação analógica para digital e para determinação das áreas das coberturas vegetais.  Os resultados permitiram constatar que o Sistema de Informação Geográfica – IDRISI Andes 15.0 foi eficiente na quantificação das áreas com uso da terra e que a análise dos dados mostrou um efetivo avanço das áreas de reflorestamentos em detrimento das áreas de pastagens, especialmente de 1999, 2003 e 2006, quando as áreas de campo foram substituídas pela silvicultura em sua totalidade. Apesar desse avanço, as áreas de mata que correspondem às Áreas de Preservação Permanente estão consideravelmente preservadas. Esse resultado vem ao encontro da tendência de expansão da silvicultura, especialmente após a instalação de indústrias de celulose na região, o que agravou os problemas ambientais oriundos da prática da monocultura

Texto completo:

PDF


Revista Agrarian
ISSN da versão impressa: ISSN 1984-252X (Cancelada)
ISSN da versão online: ISSN 1984-2538

 

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.