Interferência do intervalo de observação do etograma para determinação do comportamento de potros submetidos a início de cabresteamento e estabulagem

Hélio Alberto Cumani Garcia, Carlos Eduardo Furtado, Mara Regina Schimmak Pedro Soncin, Flávia Weiller Daniel, Karol Tavares Wandembruck, Vanessa Palotti Polizel, Juliana Akamine Torrecilhas

Resumo


Foram avaliados dois intervalos de tempo para criação de etograma para determinação do comportamento de equinos. Foram utilizados 12 potros com aproximadamente 18 meses de idade, oriundos de cruzamento de Puro sangue inglês e Mangalarga, em inicio de cabresteamento. O experimento foi conduzido na Fazenda Experimental de Iguatemi (FEI) da Universidade Estadual de Maringá. Os animais foram observados durante 24 horas por dia, durante dois dias não consecutivos, sendo a primeira observação tomada após 30 dias do inicio da estabulagem e a segunda observação após 90 dias do inicio do confinamento dos animais. Os intervalos entre observações avaliados foram de cinco e de dez minutos. Foi registrado o comportamento de cada animal e os dados coletados foram analisados mediante procedimentos não-paramétricos. Não foram evidenciadas diferenças significativas (p>0,10) entre os intervalos de observação avaliados neste estudo.

Texto completo:

PDF


Revista Agrarian
ISSN da versão impressa: ISSN 1984-252X (Cancelada)
ISSN da versão online: ISSN 1984-2538

 

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.