Entre desrespeito e reconhecimento: as comunidades quilombolas de São Roque e Rio do Meio (Ivaí, 1990-2016)

Raphael Pagliarini

Resumo


Este artigo busca compreender o processo de constituição das comunidades quilombolas de São Roque e do Rio do Meio, situadas no município de Ivaí, Sudeste do Paraná, entre os anos de 1990 e 2015, a partir do diálogo com a teoria do reconhecimento social desenvolvida por Axel Honneth. Desta forma, problematizará as relações estabelecidas entre os negros e os demais grupos étnicos-sociais estabelecidos na região, entre os quais, alemães, poloneses e ucranianos. Fundamentalmente, objetiva-se pensar as possíveis situações de desrespeito sofridas pelos negros e as formas como reagiram a elas. Neste sentido, a análise das fontes produzidas pelos quilombolas, permitirá a problematização dessa luta por reconhecimento, que dentre outras maneiras, se materializou na constituição legal e prática das comunidades estudadas. Através da trajetória de sujeitos individuais e coletivos, buscar-se-á entender como as relações intersubjetivas, internas e externas ao grupo, resultaram no reconhecimento das comunidades por parte do Estado.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.30612/frh.v19i34.7606

Fronteiras: Revista de História - PPGH/FCH/UFGD
 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.