Novos sujeitos construindo conexões entre a Antropologia e a História

Noêmia dos S. Pereira Moura

Resumo


Em minhas pesquisas de mestrado e doutorado, dentre os vários enfoques destacados, selecionei como diretriz central a parte que retratou a ação das lideranças religiosas terena em se reproduzir como sociedade através dos religiosos e suas instituições cristãs, recrutando os brancos para sua própria continuidade. As lideranças religiosas terena cristãs – católicas, protestantes, protestantes-pentecostais e xamânicas – vão se apropriar do discurso, das práticas, das imagens e dos símbolos das agências religiosas cristãs para pensá-las e acomodá-las aos seus próprios termos e desígnios. As lideranças terena foram paulatinamente se apropriando das instituições eclesiásticas cristãs, moldando-as e acomodando-as ao ethos terena, resultando em sua indigenização. A partir daí, produziram novas relações sociais internas e externas que os emponderaram (empowerment) para ocupar espaços sócio-políticos internos e externos às suas Terras Indígenas. A lógica interna e o papel essencialmente ativo e criador das sociedades ameríndias na sua confrontação com as estruturas sócio-políticas de origem européia estão orientando a produção acadêmica e novos conceitos estão se configurando. Procurei estabelecer conexões entre os olhares diacrônico e sincrônico para perceber o movimento dos Terena. Tentei me desvencilhar de antigos conceitos e categorias que negaram a natureza histórica das populações indígenas, tais como aculturação, assimilação, resistência. Em vez disso, evidenciei substitutivos, como apropriação, reforçamento identitário e protagonismo indígena, todos repensados pela antropologia. Pensei a alteridade e a investiguei nas suas mais diversas faces religiosas e temporalidades com o auxílio da História Cultural. Assim, as conexões entre antropologia e história se tornaram imprescindíveis para a análise proposta.

Palavras-chave


Protagonismo terena. Indigenização do cristianismo. Conexões interdisciplinares.

Texto completo:

PDF


Fronteiras: Revista de História - PPGH/FCH/UFGD
 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.