População cativa na capital da Província de Santa Catarina

Antonio Emilio Morga

Resumo


A capital da Província de Santa Catarina no século XIX teve sua cartografia urbana questionada pelos agentes modernizantes. A cidade vivia neste período um processo principesco de Transformações urbanas e sociais. Usos e costumes eram frequentemente questionados e censurados na imprensa. O poder público através dos códigos de posturas reprimia e coibia as práticas de sociabilidade da população desterense e de modo particular das práticas de convívio da população escrava.Coube a imprensa e aos códigos de posturas delimitarem os territórios e indicar quais práticas de sociabilidade eram permitidas aos escravos que residiam na Ilha de Santa Catarina. Entretanto apesar do proibido os cativos resistiam diante das normas de clivagem de condutas do mundo dos brancos. Espaços de sociabilidade dos escravos as ruas, casinhas, tabernas, fonte dágua e praia tornaram-se no século XIX lugar da visibilidade da população escrava da cidade de Nossa Senhora do Desterro.

Palavras-chave


População cativa. Sociabilidade. Festa.

Texto completo:

PDF


Fronteiras: Revista de História - PPGH/FCH/UFGD
 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.