A cibercultura e o uso das Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC) por lideranças indígenas como ferramentas de reconhecimento da identidade cultural: outros territórios e espaços de resistência

Maria Veirislene Lavor Sousa

Resumo


O presente trabalho tem como objetivo discutir sobre o uso das TIC, especialmente das redes sociais, por lideranças indígenas como ferramentas para o reconhecimento da identidade cultural. Nos processos interculturais, as TIC revelam-se como importantes ferramentas, que veem fortalecer as relações educacionais, políticas, sociais e culturais no âmbito das comunidades indígenas, com potencial de ir além desse contexto, embora muitos ainda não tenham acesso na atual sociedade brasileira, principalmente as minorias étnicas, pois muitas aldeias estão localizadas em cidades distantes e geralmente sem acesso à Internet. A partir do estudo, leitura e trabalho de campo sobre a relação do tema aqui proposto, que envolve as TIC, interculturalidade e identidade dos povos indígenas, surgiram as seguintes questões: como as TIC são utilizadas pelas lideranças indígenas visando o reconhecimento da cultura dos povos originários? Quais as ferramentas ou plataformas utilizadas por eles para este reconhecimento de sua identidade étnica? Qual o papel das TIC no trabalho desenvolvido por estes indígenas? Para desenvolvimento da investigação, concentramos o embasamento teórico, principalmente nas leituras dos seguintes pensadores: Hall (2005), Freire (1979/1983), Fleuri (2005), Levy (1999) e Castells (1999). A metodologia adotada foi a pesquisa etnográfica, pesquisa bibliográfica e documental, com abordagem qualitativa. Realizou-se ainda uma entrevista com um jovem estudante indígena, liderança da comunidade Pitaguary. Os resultados e conclusões nos levam a refletir sobre a interculturalidade com dados positivos, pois os indígenas se apropriam e utilizam conhecimentos das TIC para reconhecimento da sua própria cultura, suas origens, sua história e herança nativa.


Palavras-chave


Povos indígenas. Identidade. Cibercultura.

Texto completo:

PDF

Referências


AIRES, Max Maranhão Piorky et all (2009). Escolas Indígenas e Políticas Interculturais no Nordeste Brasileiro. Fortaleza: EdUECE.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil, 1988.

BRASIL. Convenção no 169 da Organização Internacional do Trabalho - OIT sobre Povos Indígenas e Tribais, 2004.

BOGDAN, Roberto C.; BIKLEN, Sari Knopp. Investigação qualitativa em educação. Tradução Maria João Alvarez, Sara Bahia dos Santos e Telmo Mourinho Baptista. Porto: Porto Editora, 1994.

CARMO, Hermano. Ferreira, Manuela, M. Lisboa: Universidade Aberta, 2008.

CASTELLS, Manuel. Cibercultura. São Paulo: Ed. 34, 1999.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 2005.

FLEURI, Reinaldo Matias (2005). Palestra Proferida no V Colóquio Internacional Paulo Freire-2005. www.paulofreire.org.br/Textos/ fleuri_2005_recife_resumo_e_texto_completo.pdf

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: História da violência nas prisões. São Paulo: Ática, 2002.

FOUCAULT, Michel. O sujeito e o poder. In: DREYFUS, H. & RABINOW, P.: Michel Foucault – uma trajetória filosófica. RJ: Forense Universitária, 1995.

FREHSE, Fraya. Ô da rua. O transeunte e o advento da modernidade em São Paulo. São Paulo: Edusp, 2011.

FREIRE, Paulo. Educação como prática da liberdade. 17.ed. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1979.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1983.

HALL, Stuart. A identidade Cultural da pós-modernidade. DP&A Editora, 2005.

MAGNANI, José Guilherme Cantor. A etnografia como prática e experiência. Horizontes antropológicos. Vol.15, N.32, Porto Alegre, jul./dez. 2009.

MUNDURUKU, Daniel. O caráter educativo do movimento indígena brasileiro. São Paulo: Paulinas, 2012.




DOI: https://doi.org/10.30612/riet.v1i1.12958

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Interdisciplinar em Educação e Territorialidade – RIET - ISSN 2676-0355

Licença Creative Commons
Esta revista está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.