Notas gramscianas: golpe de estado e luta de classes no Brasil do século XXI

Autores

  • Marcelo Lira Silva

DOI:

https://doi.org/10.30612/mvt.v4i07.8427

Resumo

Buscar-se-á desenvolver ao longo desse artigo a tese de que o Golpe de Estado soft no Brasil de 2016, de tipo Parlamentar-Judicial-Midiático, aprofundou a agenda neoliberal-flexível, fundamentada e estruturada no binômio modernização-conservação. Entretanto, devido a particularidade do processo de formação social brasileira, forjada a partir de uma revolução passiva (1928-1978), a agenda da modernização vem acompanhada pelo binômio modernização-conservação, no qual o elemento conservação impõe-se enquanto determinação histórico-social fundamental de condução da modernização. Trata-se de resgatar as chaves de leitura do pensador italiano Antonio Gramsci, como forma de construir as mediações e tentativas de construções de entendimento acerca do Brasil do século XXI.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcelo Lira Silva

Cientista Social e Filósofo (UNESP/Campus Marília). Mestre em Sociologia (UNESP/Campus Araraquara). Doutorado em Ciências Sociais (UNESP/Campus Marília). Pós-Doutorado em História (UFG/Faculdade de História). Professor Substituto de Ciências Sociais e Relações Internacionais (UNESP/ de 2010 a 2014). Professor Efetivo de Sociologia do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás/Campus Goiânia, desde abril de 2014

Downloads

Publicado

13/07/2017

Como Citar

Silva, M. L. (2017). Notas gramscianas: golpe de estado e luta de classes no Brasil do século XXI. MovimentAção, 4(07), 01–32. https://doi.org/10.30612/mvt.v4i07.8427