Articulação local e global das organizações ecumênicas: reflexões em torno da agenda de gênero da Fundação Luterana de Diaconia, Koinonia e Act Alliance

Tairine Ferreira Pimentel

Resumo


Nas últimas décadas presenciamos a internacionalização do capitalismo a partir da transnacionalização das empresas globais e isso exigiu a criação de novos arranjos dos movimentos sociais para se colocarem diante dessa nova dinâmica social, a fim de transformar seu modo de agir para articular as demandas causadas por este sistema em níveis local e global. O campo religioso também sofreu significativas modificações nesse processo, em alguns países da Europa e oriente médio a religião tem sido instrumentalizada pela extrema-direita para excluir as mulheres da vida pública ou como mecanismo de legitimação da xenofobia. O presente trabalho tem como objetivo geral compreender as conexões local e global das organizações ecumênicas brasileira e a ACT Alliance a partir da agenda de gênero desenvolvidos pela Koinonia -Presença Ecumênica e a Fundação Luterana de Diaconia.


Palavras-chave


Justiça de Gênero. Translocalização. Ecumenismo de ativismo social. Organizações ecumênicas.

Texto completo:

PDF

Referências


ABUMANSSUR, E. S. Ecumenismo na América Latina: entre o mercado e o deserto. Numen: Revista de estudos e pesquisas da religião,v. 13, nº1-2, 2010, pp137-150.

BARRETO, C. Jr. R. O Movimento Ecumênico e o Surgimento da Responsabilidade Social no Protestantismo Brasileiro. Numen: revista de estudos e pesquisa da religião, Juiz de Fora, v. 13, n. 1 - 2, pp. 273-323, 2010.

BRAKEMEIER, G. Preservando a unidade do espírito no vínculo da paz: um curso de ecumenismo. São Paulo: ASTE, 2004.

BURITY, J. A. Os protestantes e a Revolução Brasileira, 1961-1964: a Conferência do Nordeste. Dissertação (Mestrado em Ciência Política) Universidade Federal de Pernambuco - UFPE, Recife, 1989.

BURITY, J. A. Religião e Democratização no Brasil: Reflexões sobre os Anos 80, Cadernos de Estudos Sociais, Vol. 10, nº 2, julho-dezembro, 1994a.

BURITY, J. A. Minoritização, glocalização e política: para uma pequena teoria da translocalização religiosa, Cadernos de Estudos Sociais, vol. 30, nº 2: 31-73, 2015.

BURITY, J. A. Formação, Convencimento e Mobilização: Construção do Povo Nas Instituições e Redes Ecumênicas. A teoria do discurso na pesquisa em educação/ Alice Casimiro Lopes, Anna Luiza. A. R. Martins de Oliveira, Gustavo Gilson Sousa de Oliveira (Org.). -Recife: Ed. UFPE,2018. p. 361-402, 2018.

CHESNEAUX, JEAN. Modernité-monde: Brave modern world. Collection Cahiers libres, 1989.

CÉSAR, W. Um ecumenismo voltado para o mundo. Esboço para uma história do ecumenismo no Brasil. In: caminhos e descaminhos da unidade Evangélica. Suplemento Debate, v.5, n.26, mai - jun, pp. 3-4, 1995.

DUARTE, T. S. Sobre persistências históricas ou sobre insistentes rebeldias feministas no movimento ecumênico brasileiro. 316 f.. Tese (Doutorado em Antropologia) - Universidade de Brasília, Brasília, 2018.

DIAS, Z. M. (Org.) Memórias Ecumênicas Protestantes – Os protestantes e a Ditadura: colaboração e resistência. Rio de Janeiro: KOINONIA Presença Ecumênica e Serviço, 2014.

DIAS, Z. M. O movimento ecumênico: história e signi cado. Numen: Revista de Estudos e Pesquisas da Religião. Juiz de Fora, v. 1, n. 1, pp. 127-163, 1998.

FE BRASIL, Ecumenismo, direitos humanos e paz: A experiência do Fórum Ecumênico Brasil, Org. Koinonia, 2006.

FEDERAÇÃO LUTERANA MUNDIAL. 2014. Política de Justiça de Gênero. Genebra: [s.n.], p. 38. Disponível em: http://www.luteranos.com.br/textos/missao-mulheres/política-de-justica-de-genero-federação- luteranamundial. Acesso em: Novembro 2018.

FEDERAÇÃO LUTERANA MUNDIAL.2012. Nem tão doce lar: uma vida sem violência – direito de mulheres e de homens Organizado por Marilu Nörnberg Menezes. – São Leopoldo/Porto Alegre/Genebra: Sinodal/FLD/IECLB/LWF. Acesso em: 26 janeiro. 2019.

FEDERAÇÃO LUTERANA MUNDIAL.2014. Política de Justiça de Gênero. Porto Alegre: [s.n.].

GIDDENS Anthony. Modernidade e identidade pessoal. Oeiras, Celta Editora, 1994.

HARVEY, David. The condition of postmodernity. An enquiry into the origin of cultural change. Oxford, Blackwell, 1989.

MA, C. A Responsabilidade Social e Política dos cristãos: História e Memória da União Cristã de Estudantes do Brasil (UCEB) Entre as décadas de 1920 e 1960. Dissertação (Mestrado em Ciência da Religião), UFJF, Juiz de Fora, 2009.

ORTIZ, R. Mundialização, cultura e política. In: DOWBOR, L. et alii (orgs.). Desafios da globalização. 2a ed. Petrópolis, Vozes, 1997.

SILVEIRA, Paula Morena. (Orgs.). Transcidadania: Práticas e Trajetórias de um Programa Transformador. São Paulo: Koinonia, 2017b.

SOUZA, S. D. (Org.) Gênero e religião no Brasil: ensaios feministas, pp. 135-146. São Paulo: UMESP, 2006.

VILELA, M. A. F. ; Pablo F. de A. PORFÍRIO; A. V. G. G. de BARROS. A trajetória de João Dias de Araújo em tempo de ditadura: do Seminário Presbiteriano do Norte à Justiça do Trabalho, PARALELLUS, vol. 6, no. 12, Jan-Jun, pp. 237-250, 2015.




DOI: https://doi.org/10.30612/mvt.v7i12.11212

ISSN Eletrônico: 2358-9205

 

Indexadores:

 

          

   

 

    

 

oasisbr

   

 

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.