“Quem a patrocinava” influxo econômico e concessões de alforrias na faina aurífera no termo de Mariana, 1750-1779

Carlo Guimarães Monti

Resumo


O artigo estuda a concessão de alforrias em época da diminuição da produção aurífera em Nossa Senhora do Carmo entre 1750 e 1779, atual cidade de Mariana. Verifica-se o período de crise na produção mineradora estimulou as concessões de liberdades, como parte da historiografia aponta. O conjunto de fontes utilizado é composto pelas cartas de alforria, testamentos e inventários dos senhores que alforriaram no período, o que permitiu também a comparação entre o perfil padrão do escravo manumitido e os outros cativos possuídos pelos senhores, além de possibilitar o acompanhamento do desenrolar do processo da liberdade. Verificou-se que a questão econômica influenciou nas concessões, de forma pontual. Para além disto, foi demonstrado a significativa participação da família escrava, que marcou e possibilitou muitas das liberdades concedidas. O processo de concessão das alforrias demonstrou-se complexo para além das questões econômicas.

Palavras-chave


Alforrias. Escravidão. Minas Gerais (século XVIII).

Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2016 Revista Eletrônica História em Reflexão



Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.