Mulheres e práticas de cura: vivências no Mocambo do Arari - Parintins, Amazonas

Josivaldo Bentes Lima Júnior, Adan Renê Pereira da Silva

Resumo


Encantados são seres híbridos, “espiritualidade” nem totalmente do mundo dos vivos, tampouco completamente do mundo dos mortos. Este estudo debruça-se sobre práticas de cura com base nas experiências de uma moradora do Mocambo do Arari-Parintins, Amazonas, trazendo a relação entre ela e estes seres, por intermédio da história oral. Os resultados apontam para a potência da fé amalgamada pelo encontro de saberes africanos, indígenas e europeus, pensando como os saberes populares articulam-se a questões sociais, econômicas e identitárias. Destaca-se a potência da mulher como construtora da cura, do bem-estar subjetivo, por meio de práticas como a benzeção, o partejamento e recebimento de saberes ditados pelos encantados.


Palavras-chave


Mulheres ribeirinhas. Práticas de cura. Encantados. Amazônia.

Texto completo:

PDF

Referências


BASTIDE, Roger. As Religiões Africanas no Brasil: contribuição a uma Sociologia das Interpretações de Civilizações. São Paulo: Livraria Pioneira Editora, 1971.

CELESTE PINTO, Benedita. Gênero e Etnicidade: histórias e memórias de parteiras e curandeiras no norte da Amazônia. Revista Gênero na Amazônia, Belém, v. 2, n. 1 p. 201-224, 2012.

CHALHOUB, Sidney et al. Artes e Ofícios de Curar no Brasil: capítulos de História Social. Campinas: Unicamp, 2003.

CHAUÍ, Marilena. Cultura e democracia. Crítica y Emancipacíon, Revista Latinoamerica da Ciencias Sociales, Buenos Aires, Clasco, v. 1, n. 1, p. 53-76, jun. 2008. Disponível em: http://bibliotecavirtual.clacso.org.ar/ar/libros/secret/CyE/cye3S2a.pdf. Acesso em: 21 mai. 2020.

FERRETTI, Mundicarmo Maria Rocha. Encantados e Encantarias no Folclore Brasileiro. In: VI Seminário de Ações Integradas em Folclore. São Paulo, 2008.

FERRETTI, Mundicarmo Maria Rocha. Encantaria de Barba Soeira: Codó, capital da magia negra? São Paulo: Siciliano, 2001.

FERRETTI, Mundicarmo Maria Rocha. Pajelança e cultos afro brasileiros em terreiros maranhenses. Revista de Pós-Graduação em Ciências Sociais, São Luís, v. 8, n. 16, p. 1-20, 2011. Disponível em: http://www.ppgcsoc.ufma.br/index.php?option=com_content&view=article&id=511&catid=82&Itemid=114. Acesso em: 30 mai. 2020.

FIGUEIREDO, Aldrin Moura de. A cidade dos encantados: pajelanças, feitiçarias e religiões afro-brasileiras na Amazônia; a constituição de um campo de estudo 1870-1950. 428f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Campinas, SP, 1996.

FOUCAULT, Michel. A verdade e as formas jurídicas. Rio de Janeiro: NAU Editora, 2003.

GALVÃO, Eduardo. Santos e Visagens: um estudo da vida religiosa de Itá, Baixo Amazonas. 2º ed. São Paulo: Ed. Nacional de Brasília, 1976.

MAUÉS, Heraldo. A ilha encantada: medicina e xamanismo numa comunidade de pescadores. Belém: EDUFPA, 1990.

MAUÉS, Raymundo Heraldo. O Perspectivismo indígena é somente indígena? Cosmologia, religião, medicina e populações rurais na Amazônia. Mediações – Revista de Ciências Sociais, Londrina, v. 17 n.1, p. 33-61, jan/jun, 2012. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/mediacoes/article/view/2012.v17n1p33/10987. Acesso em: 30 mai. 2020.

MAUÉS, Raymundo Heraldo. Um aspecto da diversidade cultural do caboclo amazônico: a religião. Estudos Avançados, São Paulo, v. 19, n. 53, p. 256-274, 2005. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142005000100016. Acesso em: 21 mai. 2020.

MAUÉS, Raymundo Heraldo; VILLACORTA, Gisela Macambira. Pajelança e encantaria na Amazônia. In: PRANDI, Reginaldo (Org.). Encantaria brasileira: o livro dos mestres, caboclos e encantados. Rio de Janeiro: Pallas, 2005. p. 30-45.

OLIVEIRA, Elda Rizzo. O que é Benzeção. São Paulo: Brasiliense, 1985.

PORTELLI, Alessandro. O que faz a história oral diferente. Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados de História, São Paulo: PUC, v. 14, n. 1, p. 25-40, 1997. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/revph/article/view/11233/8240. Acesso em: 21 mai. 2020.

PRANDI, Reginaldo. Encantaria Brasileira: o livro dos mestres, caboclos e encantados. Rio de Janeiro: Pallas, 2001.

SALLES, Vicente. O negro no Pará sob o regime da escravidão. Brasília: MIC/SECULT, 1988.

SAMPAIO, Patrícia. Escravos e escravidão africana na Amazônia. In: SAMPAIO, Patrícia (Org.). O fim do silêncio: a presença negra na Amazônia. Belém: Açaí/CNPq, 2011. p. 13-42.

SILVA, Adan Renê Pereira da; LIMA JÚNIOR, Josivaldo Bentes; MASCARENHAS, Suely Aparecida Nascimento. O cordão de pássaros do Mocambo do Arari: reflexões sobre gênero por intermédio da cultura popular. Revista Expressão Católica, Quixadá: Unicatólica, v. 8, n. 2, p. 92-102, 2019. Disponível em: http://publicacoesacademicas.unicatolicaquixada.edu.br/index.php/rec/article/view/3426. Acesso em: 21 mai. 2020.




DOI: https://doi.org/10.30612/rehr.v14i28.12183

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.