O surgimento do inimigo interno: Ditadura Militar no Brasil (1964 a 1985)

Leandro de Araújo Crestani

Resumo


O presente artigo tem por objetivo analisar a Doutrina de Segurança Nacional e a criação do Serviço Nacional de Informações, sendo passo decisivo para a formação do aparato repressivo e a efetiva organização de redes de informações necessárias na busca da “Segurança Interna”. Serão apresentadas as características da origem do golpe militar, através do estudo da Arquidiocese de São Paulo, por meio de um levantamento histórico na tentativa de descobrir de onde surgiu o poder coercitivo dos militares, ou gêneses de seu poder. A montagem do aparelho repressivo e suas leis, que foram base para os atos brutais contra os direitos humanos, movimentos sociais e culturais no período da ditadura militar no Brasil (1964 a 1985). Problematizando o treinamento profissional e ideológico para militares e tecnocratas da burocracia de Estado. Tendo como fonte o “Manual Básico da Escola Superior de Guerra” do General Golbery do Couto e Silva da Escola Superior de Guerra (ESG). A metodologia empregada neste trabalho foi a análise de vários textos e livros sobre o Regime Militar. Contudo, podemos perceber a grande campanha montada pela ditadura militar contra as pessoas consideradas subversivas e comunistas (inimigo interno). Assim, a Doutrina de Segurança Nacional foi um importante aparato repressivo e efetivo na busca da “segurança interna”.

Palavras-chave


Doutrina de Segurança Nacional. Origem do golpe. Repressão.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais



Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.