“Desprezo das riquezas”: elementos da cultura material indígena na crônica de João Daniel (século XVIII)

Nivaldo Germano dos Santos, Alexandre Guida Navarro

Resumo


O presente artigo explora a Parte Segunda do volume I do Tesouro Descoberto no Máximo Rio Amazonas, crônica escrita pelo jesuíta João Daniel durante os anos finais de sua vida, enquanto esteve preso em Portugal, após a expulsão dos jesuítas da América portuguesa. O texto, de invejável erudição, tanto mais por ter sido escrito de memória, relata todas as “maravilhas” vistas ou ouvidas pelo autor enquanto atuou como missionário no Estado do Maranhão em meados do século XVIII. A crônica combina uma descrição detalhista com uma visão complexa dos modos de vida dos índios. Por isso, discutimos a lógica da existência e das sociabilidades a partir dos elementos da cultura material mais frequentes na obra, a saber, das armas de guerra, instrumentos de casa (utensílios domésticos) e “brasões de nobreza”; observa-se ainda uma interessante contradição no discurso colonial do cronista.


Palavras-chave


Tesouro Descoberto. Discurso Colonial. Cultura Material Indígena.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, M. R. C.. Os Índios na História do Brasil. 1a. ed. Rio de Janeiro: FGV, 2010.

ARAÚJO, Marcos Dias de. João Daniel e seu Tempo: Tradição e a modernização na experiência jesuítica no período pombalino. Dissertação de mestrado. Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 1999.

AVELAR, Lucas Endrigo Brunozi. Ideologia e Tradição dos Usuários na Amazônia Colonial. Outros Tempos, vol. 14, n. 24, p. 247 – 265, 2017.

BAENA, Antonio Ladislau Monteiro. Observações ou Notas Ilustrativas dos Primeiros Três Capítulos da Parte Segunda do Thesouro Descoberto no Rio Amazonas. Revista do IHGB, Tomo V, 3ª ed. Rio de Janeiro: Typographia Universal de Laemmert & C., p. 275-311, 1885.

BOCCARA, Guillaume. Mundos Nuevos en las fronteras del Nuevo Mundo: relectura de los processos coloniales de etnogénesis, etnificación y mestizaje en tempos de globalización. Mundo Nuevo Nuevos Mundos, revista eletrônica. Paris, 2005. Disponível em http://nuevosmundos.revues.org.426. Acesso em 04/04/2013.

BOLTON, Herbert E. La missión como instituición de frontera en el septentrión de Nueva Espanha (1917). Estudios (nuevos y vejos) sobre la frontera. Anexo 4. Revista de Índias. Madri, CSIC, 1990.

BOXER, Charles R. A Igreja Militante e a Expansão Ibérica, 1440-1770. Tradução Vera Maria Pereira. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

CARVALHO JR. Almir Diniz. Índios Cristãos: A conversão dos gentios na Amazônia portuguesa (1653-1769). Tese de Doutorado, UNICAMP, 2005.

CUNHA, Manuela Carneiro da. História dos Índios no Brasil (org.). São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

DANIEL, João. Tesouro Descoberto no Máximo Rio Amazonas. V. 01, Rio de Janeiro: Contraponto, 2004.

FERGUSON, P. Brian & WHITEHEAD, Neil L. War in Tribal Zone: Expanding States and Indigenous Warfare. Santa Fé, New Mexico: School of American Research Press, 1992.

GARCIA, Elisa Frühauf. As diversas formas de ser índio: politicas indígenas e políticas indigenistas no extremo sul da América portuguesa. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2009.

GARCIA, Elisa Frühauf. Dimensões da liberdade indígena: missões do Paraguai, séculos XVII-XVIII. Revista Tempo. Dossiê: Missões na América ibérica: Dimensões políticas e religiosas, v. 19, nº 35, p. 83-95, 2013.

JACKSON, Robert H. Missões nas fronteiras da América espanhola: análise comparativa. Estudos Ibero-Americanos, PUCRS, v. 29, nº 02, p. 51-78, 2003.

LODOÑO, Fernando Torres. Do Exílio, um Futuro para o Amazonas: João Daniel e o Aproveitamento das Riquezas do Rio. Projeto História, São Paulo, n. 52, pp. 76-111, 2015.

MONTEIRO, John. Tupis, Tapuias e Historiadores: Estudos de História Indígena e do Indigenismo. Tese de Livre Docência. Departamento de Antropologia, UNICAMP, 2001.

NAVARRO, Alexandre Guida. New evidence for late first-millennium AD stilt-house settlements in Eastern Amazonia. Antiquity Publications Ltd, v. 92, bº 366, p. 1586–1603, 2018.

NAVARRO, Alexandre Guida. As Estearias do Maranhão: A pesquisa acadêmica do Laboratório de Arqueologia da UFMA. São Luís: EDUFMA, 2018.

NAVARRO, Alexandre Guida. (org). A Civilização Lacustre e a Baixada Maranhense: da pré-história dos campos inundáveis aos dias atuais. São Luís: Café&Lápis, EDUFMA, 2019.

NAVARRO, Alexandre Guida; DOMINGUEZ, Lourdes S.; FUNARI, Pedro Paulo. (Orgs.) Arqueología del Contacto em Latinoamérica. 1ª ed. Jundiaí-SP: Paco / São Luís: EDUFMA, 2019.

O’GORMAN, Edmundo. Segunda Parte: O horizonte cultural. A Invenção da América. Reflexão a respeito da estrutura histórica do Novo Mundo e do sentido do seu devir. Tradução de Ana Maria Martinez Corrêa, Manoel Lelo Belloto. São Paulo: Editora da Universidade Estadual Paulista, 1992. pp. 71-96.

ORTELLI, Sara. Trama de una guerra conveniente: Nueva Viscaya y la sombra de los apaches (1748-1790). Mexico, D.F. El Colégio de Mexico, Centro de Estudos Históricos, 2007.

PÁDUA, José Augusto O tesouro de João Daniel (As origens da ansiedade amazônica II). Disponível em: https://www.oeco.org.br/colunas/jose-augusto-padua/17226-oeco-16832/. Acesso em 05/01/2020.

PASCHOAL, Tainá Guimarães. O Tesouro Descoberto no Máximo Rio Amazonas (1741-1757) de João Daniel e a História da Alimentação. Anais do XXVII Simpósio Nacional de História. Natal, 2013.

PORRO, Antonio. Um ‘tesouro’ redescoberto : os capítulos inéditos da Amazônia de João Daniel. Revista do ieb, nº 43, p.127-147, 2006.

PORRO, Antonio. O Povo das Águas: ensaios de etno-história amazônica. 2ª ed. Manaus: EDUA, 2017.

REDE, Marcelo. Estudos de cultura material: uma vertente francesa. Anais do Museu Paulista. São Paulo, p. 281-291, 2003.

SALLES, Vicente. Apresentação. In: DANIEL, João. Tesouro Descoberto no Máximo Rio Amazonas. V. 01, Rio de Janeiro: Contraponto, 2004.

SANTOS, Nivaldo Germano dos. Discórdias da Monarquia: os poderes régio e episcopal no Estado do Maranhão, 1677-1750. Dissertação de mestrado, UFF, 2014.

SIEWIERSKI, Henryk. Expulsão da Amazônia e a sua reconquista no Tesouro descoberto no máximo rio Amazonas do Pe. João Daniel. Programa Nacional de Apoio à Pesquisa. Fundação Biblioteca Nacional – MinC, 2008.

SIEWIERSKI, Henryk. O Tesouro da Alteridade Amazônica na Obra do Padre João Daniel. Revista Sentidos da Cultura - Belém/Pará. V.1. N. 1. 2014.

SUPRINYAK, Carlos Eduardo. Moeda, Tesouro e Riqueza: Uma anatomia conceitual do mercantilismo britânico do século 17. EST. ECON., SÃO PAULO, v. 39, nº 3, 2009, p. 571-596.




DOI: https://doi.org/10.30612/rehr.v13i26.11322

Direitos autorais 2019 Revista Eletrônica História em Reflexão

URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/3.0/br/

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.