Perspectivas das territorialidades e desenvolvimento do Turismo de experiência em Mato Grosso do Sul, Brasil

Djanires Lageano Neto de Jesus, Débora Fittipaldi Gonçalves, Marta Regina da Silva-Melo

Resumo


O presente estudo tem como objetivo investigar elementos de territorialidade e desenvolvimento regional/local das cidades indutoras de turismo em Mato Grosso do Sul, na busca de possíveis relações e possibilidades para a implantação do segmento Turismo de Experiência. A metodologia proposta foi baseada na investigação qualitativa de caráter descritiva, bibliográfica, documental e social, integrando o grupo de pesquisas de ordem qualitativa. Os resultados parciais caracterizam o mapa turístico de Mato Grosso do Sul, a partir das cidades indutoras de turismo (Campo Grande, Bonito e Corumbá) previstas na Política Nacional de Turismo, mediante os aspectos interculturais e multidimensionais de desenvolvimento local/regional, além de relacionar propostas e atividades de experiência turística no território sul-mato-grossense.

Palavras-chave


Desenvolvimento regional. Cidades Indutoras. Experiência no Turismo.

Texto completo:

PDF

Referências


BARBOSA, L. G. M. (Org.). Estudo de Competitividade dos 65 Destinos Indutores do Desenvolvimento Turístico Regional. Relatório Brasil, 2ed. Brasília: Ministério do Turismo, 2008.

BAUMAN, Z. Identidade: entrevista a Benedetto Vecchi. Tradução: Carlos Alberto Medeiros. Rio de janeiro: Zahar, 2005.

BENI, M. C. Turismo: da economia de serviços à economia da experiência. Revista Turismo - Visão e Ação, Balneário Camboriú, v. 6, n. 3, p. 295-305, 2004.

BORDAS, E. Hacia el turismo de la sociedad de ensueño: nuevas necesidades de mercado. In: Conferencia celebrada en el acto de los Estudios de Economía y Empresa de la UOC. p. 1-16, 2002. Disponível em: http://www.uoc.edu/dt/20219/index.html. Acesso em: 22 jan. 2018.

BRASIL, Ministério do Turismo. Manual Tour da Experiência 2010: Conceituação. 2010, 18p.

BRASIL, Ministério do Turismo. Manual Tour da Experiência 2010: Metodologia. 2010, 29p.

BRASIL, Ministério do Turismo. Disponivel em: http://www.turismo.gov.br/images/15_09_17_RelatorioMapaDoTurismo.pdf. Acesso em 18 de set 2018.

CANDAU, V. M. (Org.). Educação Intercultural na América Latina: entre concepções, tensões e propostas. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2009. p.74-93.

DENCKER, A. F. M. Métodos e Técnicas de Pesquisa em Turismo. São Paulo – Futura, 2007.

FAGUNDES, M. B. B.; SCHMIDT, V.; CENTURIÃO, D. A. S. Identificação das variáveis de SWOT como ferramenta para promover o diagnóstico turístico e o desenvolvimento local: Corumbá-MS. Informe Gepec, v. 17, n. 1, p. 6-22, 2013.

FAGUNDES, C.; ASHTON, M. S. G. A Oferta Turística em Bonito, Mato Grosso do Sul, Brasil: o potencial criativo como diferencial competitivo. Revista Rosa dos Ventos – Turismo e Hospitalidade, 8(I), e 008, p. 1-15, 2016.

GARCIA, D.; JESUS, D.; MERIGHI, G. As preferências dos sul-mato-grossenses na escolha de seus destinos turísticos: uma análise para o estabelecimento de diretrizes políticas e competitividade para o estado de Mato Grosso do Sul, Brasil. Revista Turismo & Desenvolvimento, n. 27, v. 28, p. 1599-1609, 2017.

GÂNDARA, J. M. G. Construindo conceitos: qualidade, destino turístico, experiência, produto e visitação. In: Qualidade da experiência na visitação de produtos turísticos – Mestrado em Cultura e Turismo – UESC, Ilhéus, Bahia, 2009.

IPHAN. Avança processo de Registro do Banho de São João (MS). Disponível em: http://portal.iphan.gov.br/ms/noticias/detalhes/4536/banho-de-sao-joao-de-corumba-e-ladario-primeiro-bem-imaterial-brasileiro-exclusivo-do-ms. Acesso em: 10 set. 2018.

KASTENHOLZ, E.; CARNEIRO, M. J.; MARQUES, C. P.; LIMA, J. Understanding and managing the rural tourism experience—The case of a historical village in Portugal. Tourism Management Perspectives, v. 4, p. 207–214, 2012.

LUNAS, J. R. S.; NASCIMENTO, E. P. Turismo e Sustentabilidade: uma análise dos problemas atuais e futuros de sistemas turísticos e enclaves em ambientes naturais. Entre-Lugar, Dourados, v. 7, n.14, p. 64-84, 2016.

MATO GROSSO DO SUL. Plano de Desenvolvimento Integrado do Turismo Sustentável, polo Campo Grande e região (PDITS). Campo Grande, 2012.

GOVERNO DO ESTADO DE MS. Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul. Institucional. Disponível em:http://www.fundacaodecultura.ms.gov.br. Acesso em 15 jan. 2018.

MARTINS, D. W. C.; PAQUER, E.; SCHLUCHTING, G. Qualidade do transporte rodoviário de passageiros nos trechos Campo Grande-Bonito e Campo Grande-Corumbá. Multitemas, n. 20, p. 19-21, 2001.

MARIANI, M. A. P.; FAGUNDES, M. B. B.; ARRUDA, D. O.; SCHMIDT, V. Avaliação do potencial econômico do turismo no município de Corumbá-MS sob a visão do trade turístico. Revista Acadêmica Observatório de Inovação do Turismo, v. 7, n. 1, p. 1-19, 2012.

MURPHY, P.; PRITCHARD, M. P.; SMITH, B. The destination product and its impact on traveler perceptions. Tourism Management, v. 21, p. 43 – 52, 2000.

OLIVEIRA, L. D.; PINHEIRO, L. E. L.; MICHELS, I. L. Caracterização da Cadeia Turística do Mato Grosso do Sul. Turismo em Análise, v.20, n.2, p. 210-229, 2009.

PANOSSO NETTO, A.; GAETA, C. Turismo de experiência. São Paulo: SENAC, 2010.

PEZZI, E.; VIANNA, S. L. G. A Experiência Turística e o Turismo de Experiência: um estudo sobre as dimensões da experiência memorável. Turismo em Análise, v. 26, n. 1, Especial, 2015.

PINE, B. J.; GILMORE, J. H. The experience economy: Work is theater and every business a stage. Boston: Harvard Business School Publishing, 1999, 252 p.

PONTAL DAS ÁGUAS. Site oficial da Pontal das Águas. Disponível em: http://pontaldasaguas.com.br/. Acesso em: 15 jan. 2018.

RICHARDSON, R. J.; PERES, J. A. S.; WANDERLEY, J. C. V.; CORREIA, L. M.; PERES, M. H. M. Pesquisa social: métodos e técnicas. 2. ed. São Paulo: Atlas, 1989.

SANTOS, G. R.; SOUZA, O. N.; BARROS, B. R. G. S. Banho de São João: Reflexos na Economia de Corumbá. Revista GeoPantanal, n. 19, p. 27-38, 2015.

SCHMIDT, V.; FAGUNDES, M. B.; ARRUDA, D. O.; MARIANI, M. P. Avaliação do potencial econômico do turismo no município de Corumbá-MS sob a visão do trade turístico. Revista Acadêmica do Observatório de Inovação do Turismo, v. 7, n. 1, p. 1-19, 2012.

SEBRAE. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas. Turismo de Experiência. Recife: CCS, 2015. 52p.

SCOTT, N.; COOPER, C.; BAGGIO, R. Destination Networks Four Australian Cases. Annals of Tourism Research, v. 35, n. 1, p. 169–188, 2008.

SILVA-MELO, M. R.; NETO DE JESUS, D. L. Empreendedorismo Feminino: desafios e oportunidades no cenário turístico de Campo Grande, Mato Grosso do Sul. Revista de Turismo Contemporâneo, v. 6, n. 1, p. p.111-128, 2018.

SYNAPSIS. Turismo de Experiencias. Disponível em: http://www.turismodeexperiencias.com/#!calendario. Acesso em: 06 out. 2017.

TABOA. A história do Taboa Bar. Site oficial da Cachaçaria Taboa. Disponível em: http://www.taboa.com.br. Acesso 10 set. 2018.

TABOA BAR. Disponível em http://taboabar.com.br/atelie_taboa/. Acesso em 20 de set de 2018.

TRENTIN, F.; SANSOLO, D. G. Políticas públicas de turismo e indicadores de sustentabilidade ambiental: um estudo sobre Bonito – MS. Turismo - Visão e Ação, v. 8, n.1, p. 61-74, 2006.

VIAGEM E TURISMO. Disponivel em https://viagemeturismo.abril.com.br/materias/veja-os-vencedores-do-premio-o-melhor-de-viagem-e-turismo-201718/. Acesso em 14 de set de 2018.

WALSH, C. Interculturalid, Estad, Sociedad: Luchas (de) coloniales de nuestra época. Quito: Ediciones Abya- Yala, 2009.

WALSH, C. La educación intercultural en la educación. Peru: Ministerio de Educación, 2001.




DOI: https://doi.org/10.30612/el.v9i18.8883

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.