Geografia, paisagem e fotogeografia: uma experiência no ensino de alunos surdos

Autores

  • Jean Volnei Fernandes Secretaria de Educação do Distrito Federal
  • Alfonso Garcia de la Vega Universidade Autônoma de Madrid
  • Valdir Adilson Steinke Universidade de Brasília (UnB) https://orcid.org/0000-0002-8738-6975

DOI:

https://doi.org/10.30612/rel.v12i24.12743

Palavras-chave:

Ensino, Paisagem, Fotogeografia, Surdos, Educação

Resumo

Um dos grandes desafios dos professores do ensino fundamental envolve a inclusão de alunos com deficiência, portanto, a busca pelo desenvolvimento de novos procedimentos de ensino-aprendizagem deve ser uma constante no processo escolar. Esta pesquisa teve como objetivo aplicar uma proposta geoiconográfica com alunos surdos matriculados do 6º ao 9º ano do ensino fundamental, em uma escola pública do Distrito Federal/Brasil. Objetivou-se encontrar as relações e possibilidades de ensino-aprendizagem baseada nos três eixos paisagem, fotogeografia e transdisciplinaridade, como instrumentos que potencializam o pensamento geográfico para alunos surdos. Os procedimentos metodológicos envolveram pesquisa qualitativa, por meio de entrevistas semiestruturadas e atividades de campo. A entrevista semiestruturada possibilitou compreender a relação entre o pertencimento do aluno surdo à Geografia, os recursos didáticos utilizados nas aulas de Geografia, as relações existentes entre o cotidiano dos alunos e as aulas de Geografia, e como os recursos imagéticos podem ser considerados facilitadores na aprendizagem desses alunos. A atividade de campo permitiu aos alunos reconhecer as diferentes paisagens existentes na sua cidade, de forma a relacioná-las com conceitos e fenómenos geográficos. Para a obtenção das imagens foram utilizadas câmeras fotográficas, distribuídas individualmente aos alunos. A partir das imagens obtidas, e utilizando Libras, foi realizada uma intervenção didática em que os alunos visualizaram as fotos, construindo/reconstruindo seus conceitos e significados geográficos. Esse processo de construção culminou na elaboração e apresentação de banners para a comunidade escolar, a partir das fotos obtidas pelos alunos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Valdir Adilson Steinke, Universidade de Brasília (UnB)

Possui graduação em Geografia (Bacharelado e Licenciatura Plena) (2001), Mestrado em Geologia (2003) e Doutorado em Ecologia (2007). Atualmente é Professor Adjunto da Universidade de Brasília. Têm experiência na área de Geografia, com ênfase em Análise Ambiental, atuando principalmente nos seguintes temas: bacia hidrográfica, análise da paisagem, patrimonio natural, biogeografia, planejamento e área de imagem (fotografia e cinema) na geografia.

Referências

Arnt, R.M. Formação de professores e didática transdisciplinar: aproximações em foco. Mimeo, 2009.

Azambuja, L. D. Trabalho de campo e ensino de Geografia. Geosul (UFSC), Florianópolis, SC, 2012 v. 27, n. 54, julho/dezembro.

Barbieri, G. Fotografie e carte geografiche. In: BARBIERI, Giuseppe. CANIGIANI, França, 2006.

Bertrand, G. Paisagem e geografia física global: esboço metodológico. RA’E GA - O Espaço Geográfico em Análise. 2013, Curitiba, n. 8, p. 141-152, 2004. Disponível em: < http://ojs.c3sl.ufpr.br/ojs2/index.php/raega/article/view/3389/2718>. Acesso em: 14 out. 2013.

Brasil. Ministério da Educação. Brasília. Base Nacional Comum Curricular. Secretaria de Educação Básica. Brasília: MEC/SEB, 2017b.

Bybee, Rodger W A. Review of Literatureon Science for the Deaf. Science Education, 1972, 56 (2): 237-242 by John Wiley & Sons, Inc.

Bybee, Rodger W. Science in a Silent World. Science Activities, 1972, No. 5, pp. 25-54. January.

Castro, Polito J. E. “Teaching of Science to Deaf and Profound Hard of Hearing Children,” In Proceedings of the International Congress on Education of the Deaf. 1964, Washington, D.C., U.S. Government Printing Office.

Chizzotti, A. Pesquisa em Ciências Humanas e Sociais. 9 ed. São Paulo: Cortez, 2008.

Dittrich, S. Argumentieren als Methode zur Problemlösung. Eine Unterrichtsstudie zur mündlichen Argumentation of Schülerinnen und

Schülern in Kooperativen Settings im Geographieunterricht ; Redbox Unipress: Münster, Alemanha, 2017.

Fernandes, H. L. A fotografia como mediadora subversiva na produção do conhecimento. Unicamp - Faculdade de Educação. Campinas, 2005.

Fögele, J. From content to concept. Teaching glocal issues with geographical principles. Eur. J. Geogr. 2017, 7, 6–16. Google Scholar.

Fuller, I. C., Gaskin, S., & Scotti I. Student perceptions of geography and environmental science fieldwork in the light of restricted access to the field, caused by foot and mouth disease in the UK in 2001. In: Journal of Geography in Higher Education. London (UK), 27, 79–102, 2003.

Furth, Hans G. Thinking without Language-Psychological Implications of Deafness, the Free Press 1966, pp. 114-143.

Garcia de La Vega, A. El paisaje: um desafio curricular y didáctico. Revista de Didáctica específicas, 2011. n. 4, p. 1-19.

Haw, D. J. B.; OldfieldL, J. D. Landscape Science: A Russian Geographical Tradition. Annals of the Association of American Geographers, 97(1), 2007, pp. 111–126 by Association of American Geographers, by Blackwell Publishing, Oxford, U.K

Kinder, A. Acquiring geographical knowledge and understanding through fieldwork. Teach. Geogr. 2018, 43, 112–209. Google Scholar

Kossoy, B. Fotografia e história. São Paulo: Ática, 1989. 110 p. Série Princípios; 176.

Küster, Hansjörg, Cultural Landscape: An Introduction, in, Dieterich, Martin, Straaten, Jan Van Der (ORGS), Cultural Landscapes and Land Use: The Nature Conservation – Society Interface, Kluwer Academic Publishers, Holanda, 2004.

L, Y. A Geografia serve antes de mais nada para fazer a guerra. 1977, Lisboa: Iniciativas Editoriais.

Lacoste, Y. A pesquisa e o trabalho de campo: um problema político para os pesquisadores, estudantes e cidadãos. Boletim Paulista de Geografia, São Paulo, n.84, p.77- 92, jul. 2006.

Litz, V. G. O uso da imagem no ensino de História. UFPR- Departamento de Graduação em História. PDE: Curitiba, 2009.

Ludwig, A. C. Fundamentos e prática de metodologia científica. Petrópolis: Vozes, 2014.

Neves, Karina Fernanda T. V. Os trabalhos de campo no ensino de Geografia: reflexões sobre a prática docente na educação básica. Ilhéus: Editus, 2010.

Nicolescu, B. Um novo tipo de conhecimento - transdisciplinaridade. In Educação e Transdisciplinaridade. Brasília: Ed. UNESCO, 1999.

Oliveira, C. D. M.; Assis, R. J. S. Travessias da aula em campo na geografia escolar: a necessidade convertida para além da fábula. Revista Educação e Pesquisa, São Paulo, SP. 2009 v. 35, n. 1, jan. /abr.

Quadros, R. M. O Tradutor Intérprete de Língua de Sinais e Língua Portuguesa. Secretaria de Educação Especial, Programa Nacional de Apoio à Educação de Surdos. Brasília: MEC; SEESP, 2003.

Ritter, C.; Gage, W. L. Comparative Geography. Review by: The North American Review. 1865, Vol. 101, No. 208, pp. 267-269. Published by: University of Northern Iowa. Stable URL: http://www.jstor.org/stable/25107841. Page Count: 3

Santos, M. Metamorfoses do espaço habitado. São Paulo: Hucitec, 1998.

Steinke, V. A. Imagem e Geografia: o protagonismo da “fotogeografia”. In: Geografia e fotografia: apontamentos teóricos e metodológicos / Organizadores: Valdir Adilson Steinke, Dante Flávio Reis Júnior, Everaldo Batista Costa. – Brasília: Laboratório de Geoiconografia e Multimídia – LAGIM, UnB, 2014.

Taylor, K. Landscape and memory: Cultural landscapes, intangible values and some thoughts on asia. In Proceedings of the 16th ICOMOS General Assembly and International Symposium: ‘Finding the Spirit of Place–between the Tangible and the Intangible’,

Quebec, QC, Canada, 29 September–4 October 2008. Google Scholar. Antrop, M. Geography and Landscape Science. Available online: https://journals.openedition.org/belgeo/13975 (accessed on 20 May 2020).

Tilley, C. Introduction: Identity, place, landscape and heritage. J. Mater. Cult. 2006, 11, 7–32. Google Scholar.

Tilley, C. The Materiality of Stone: Explorations in Landscape Phenomenology; Berg Publishers: New York, NY, USA, 2004; ISBN 9781859738979. Google Scholar.

Turri, E. A paisagem como teatro – do território vivido ao território representado. In: SER-RÃO. A. V. Filosofia da Paisagem: uma antologia. 2011, Lisboa: Ed. Centro de Filosofia da UniversidadedeLisboa.

Uhlenwinkel, A. Conceitos geográficos e também Strukturierungshilfe für den Geographieunterricht. J. Geogr. Educ. 2013, 41, 18-43. Google Acadêmico.

Wassell, I. T. “The Essence of Science-A Development of Understandings,” In Proceedings of the International Congress on Education of the Deaf. 1964, Washington, D.C., U.S. Government Printing Office.

Downloads

Publicado

30/12/2021

Como Citar

Fernandes, J. V., Vega, A. G. de la ., & Steinke, V. A. (2021). Geografia, paisagem e fotogeografia: uma experiência no ensino de alunos surdos. Revista Entre-Lugar, 12(24), 126–145. https://doi.org/10.30612/rel.v12i24.12743

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)