A formação docente no estágio supervisionado: narrativas de egressos do curso de Pedagogia

Joelson de Sousa Morais, Inês Ferreira de Souza Bragança

Resumo


Neste artigo, de abordagem qualitativa, tomamos como objetivo compreender como professoras/es recém-formadas/os perceberam a docência a partir da experiência do estágio supervisionado no Ensino Fundamental. Para a produção das narrativas pelas/os participantes da pesquisa, pedagogas/os recém-formadas/os de uma instituição de ensino superior privada, no interior do Maranhão, trabalhamos com conversas e questionário como dispositivos metodológicos.  O problema de pesquisa questiona: como as/os professoras/es recém-formadas/os percebem a docência, a partir da realização do Estágio Supervisionado no Ensino Fundamental pelo qual vivenciaram? Os resultados mostraram que o estágio é uma experiência marcante na formação inicial de professoras/es; apesar de relevante, não fornece todas as bases para se atuar profissionalmente, mas possibilita contribuições fundamentais para os futuros docentes.


Palavras-chave


Estágio supervisionado; Formação de professores; Narrativas

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. MEC. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília: MEC, 1996. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/ldb.pdf>. Acesso: 13 dez. 2019.

BRAGANÇA, Inês Ferreira de Souza. Formação inicial e continuada de professoras/es: contribuições da abordagem narrativa (auto)biográfica. São Paulo, Projeto de Pesquisa, FAPESP, 2018.

DEMO, Pedro. Professor do futuro e reconstrução do conhecimento. In.: MACIEL, E. S. B.; NETO, A. S. (Orgs.). Formação de professores: passado, presente e futuro. São Paulo: Cortez, 2004.

GATTI, Bernadete Angelina. Formação de professores: condições e problemas atuais. Revista Brasileira de Formação de Professores. v. 1, n. 1, p.90-102, maio/2009. Disponível em: < https://periodicos.itp.ifsp.edu.br/index.php/RIFP/article/view/347/360>. Acesso em: 28 out. 2019.

GIROTTO, Cyntia Graziela G. Simões; CASTRO, Rosane Michelli. O estágio curricular e a didática na formação de professores: desafios e possibilidades. Educação. Santa Maria, v. 38, n. 1, p. 177-190, jan./abr. 2013. Disponível em: > https://periodicos.ufsm.br/reveducacao/article/view/4094/4540>. Acesso: 03 set. 2020.

GISI, Maria Lourdes; MARTINS, Pura Lúcia Oliver; ROMANOWSKI, Joana Paulin. O estágio nos cursos de licenciatura. In.: ENS, R. T.; VOSGERAU, D. S. R.; BEHRENS, M. A. (Orgs.) Trabalho do professor e saberes docentes. Curitiba: Champagnat, 2009.

GUARNIERI, Maria Regina. O início da carreira docente: pistas para o estudo do trabalho do professor. In.: GUARNIERI, M. R. (Org.) Aprendendo a ensinar: o caminho nada suave da docência. 2.ed. Campinas, SP: Autores Associados; Araraquara, SP: Programa de Pós-graduação em Educação Escolar da Faculdade de Ciências e Letras da UNESP, 2005. (Coleção polêmicas de nosso tempo; 75).

IMBERNÓN, Francisco. Formação docente e profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. Tradução Silvana Cobucci Leite. 8.ed. São Paulo: Cortez, 2010.

JOSSO, Marie-Christine. Experiências de vida e formação. Tradução José Cláudio; Júlia Ferreira. Revisão científica Maria da Conceição Passeggi; Marie Christine Josso. 2.ed. rev.e ampl. Natal, RN: EDUFRN; São Paulo: Paulus, 2010.

MARCELO GARCIA, Carlos. O professor iniciante, a prática pedagógica e o sentido da experiência. In.: Formação Docente, Belo Horizonte, v. 03, n. 03, p. 11-49, ago./dez. 2010. Disponível em: . Acesso: 09 dez./2019.

MORAIS, Joelson de Sousa. A prática pedagógica no cotidiano de professoras iniciantes: tramas e desafios do aprender e ensinar. Dissertação (Mestrado em Educação), Centro de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015. 175f. Disponível em: . Acesso em: 04 ago. 2019.

NÓVOA, António. Professores: imagens do futuro presente. Lisboa: Educa, 2009.

PIMENTA, Selma Garrido. O estágio na formação de professores: unidade teoria e prática? 10. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

RIBEIRO, Tiago; SOUZA, Rafael de; SAMPAIO, Carmen Sanches. É possível a conversa como metodologia de pesquisa? In: RIBEIRO, T.; SOUZA, R. de; SAMPAIO, C. S. (Orgs,). Conversa como metodologia de pesquisa: porque não? Rio de Janeiro: Ayvu, 2018. P.163-180.

SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 23. ed. rev. e atual. São Paulo: Cortez, 2007.

TORRES SANTOMÉ, Jurjo. A educação em tempos de neoliberalismo. Trad. Cláudia Schilling. Porto Alegre: Artmed, 2003.




DOI: https://doi.org/10.30612/eduf.v10i29.14176

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.