A poeticidade da imagem no filme ‘Esplendor’: a linguagem cinematográfica como potência da audiodescrição

Isabel Pitta Ribeiro Machado

Resumo


Este artigo foi inspirado no filme Esplendor, (Hicari; 2017), da diretora Naomi Kawase, devido à abordagem poética presente na linguagem de sua obra. À luz de autores da filosofia e do cinema, o artigo propõe uma reflexão sobre o conceito da audiodescrição no cinema e sua capacidade de desenvolver novos repertórios de imagem a partir de uma audiodescrição que contemple a linguagem cinematográfica. Assistir a um filme é usufruir da imagem que, ligada a outros elementos de linguagem de câmera, sonoros, dramáticos, cenográficos, espaciais e temporais, gera em cada espectador uma profusão dos sentidos. Estes elementos conjugados são a forma de representação simbólica da arte do cinema e, ao serem descritos em palavras, produzem novas relações simbólicas, fundamentais para a fruição da arte cinematográfica. Esta escrita não versa sobre o conceito e as formas de audiodescrição que a personagem do filme Esplendor, a audiodescritora Misako, utiliza em seu trabalho, tampouco sobre a audiodescrição do filme feita no Brasil, mas sim sobre uma audiodescrição que leve em consideração a poeticidade das imagens no momento de suas descrições.


Palavras-chave


Audiodescrição. Pessoa com Deficiência. Linguagem Cinematográfica.

Texto completo:

PDF

Referências


MACHADO, I. P. R. A parte invisível do olhar-audiodescrição no cinema: a constituição das imagens por meio das palavras – uma possibilidade de educação visual para a pessoa com deficiência visual no cinema. The invisible side of the eye : audiodescription in the movies : the creation of images through words – a possibility of visual education for visually impaired person in the cinema. 2015. 226 f. Dissertação (Mestrado em Multimeios). Programa de Mestrado em Multimeios do Instituto de Artes da Unicamp. Campinas. 2015. Disponível em:

http://repositorio.unicamp.br/bitstream/REPOSIP/285178/1/Machado_IsabelPittaRibeiro_M.pdf. Acesso em: 3 jun. 2019.




DOI: https://doi.org/10.30612/eduf.v10i28.13027

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.