Hegemonias temáticas, conceituais e de atores da Geografia: O caso da revista da Anpege no Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5418/ra2021.v17i32.12960

Palavras-chave:

Produção científica, poder, geografia, epistemologia, análise de redes

Resumo

O objetivo deste artigo é compreender como se estruturam as hegemonias científicas em termos de temáticas, conceitos e atores na Revista da ANPEGE, como um experimento-piloto para análise do campo científico da geografia no Brasil. Foram considerados 251 artigos publicados pelo referido periódico científico entre os anos 2003 e 2018, sendo adotados os parâmetros de referências, palavras-chave, autorias e suas respectivas procedências institucionais. A metodologia utilizada foi a análise de redes sociais com o apoio do software Gephi. Os resultados nos permitem afirmar que as centralidades, tanto de pessoas quanto de ideias, reportam para um conjunto epistêmico significativamente hierárquico, concentrado e relativamente homogêneo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vagner André Morais Pinto, Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG)

Mestre em Geografia pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG).

Joseli Maria Silva, Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG)

Docente na Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG).

Ivan Jairo Junckes, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Docente na Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Referências

BARCELOS, Sâmea Silva de Melo. A geografia urbana na Revista Brasileira de Geografia (1939-1995). Dissertação (Mestrado em Geografia) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2010, 171p.

BUNGE, Willian. The strucuture of contemporary american geographic research. The Professional Geographer, Flórida, vol. XIII, n.3, p. 19-23,1961.

BOURDIEU, Pierre. Os usos sociais da ciência: por uma sociologia clínica do campo científico. São Paulo: UNESP, 2004.

CASTRO, Iná Elias de. O poder e o poder político como problemas. In: CASTRO, Iná Elias de. Geografia e Política: territórios, escalas de ação e instituições. 3 ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2010, p. 95-137.

DANTAS, Eustógio Wanderley Correia. Relatório da Avaliação Quadrienal 2017 Geografia. Disponível em: < http://www.capes.gov.br/images/documentos/Relatorios_quadrienal_2017/20122017-Geografia_relatorio-de-avaliacao-quadrienal-2017_final.pdf> Acesso em 17 de setembro de 2018.

DEGENNE Alain; FORSÉ Michel. Introducing Social Networks. Londres: Sage, 1999.

FERETTI, Vandro Elaino; JUNCKES, Ivan Jairo; CLEMENTE, Augusto Junior. Ciência política e análise de redes: uma metodologia para o mapeamento de comunidades temáticas. Guaju, Matinhos, v.4, n.2, p. 229-251, 2018.

FOUCAULT, Michel. Ditos e escritos. Vol. III. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2001.

FOUREZ, Gérard. A construção das ciências: introdução à filosofia e à ética das ciências. São Paulo: Editora da Universidade Estadual Paulista, 1995.

HEY, Ana Paula. Bourdieu epistêmico-prático: o espaço de produção acadêmica em Educação Superior no Brasil. Educação & Linguagem, São Paulo, ano 10, nº 16, p. 86-105, 2007.

HIGGINS, Silvio Salej; RIBEIRO, Antonio Carlos Andrade. Análise de redes em Ciências Sociais. Brasília: Enap, 2018.

KADUSHIN, Charles. Understanding Social Networks: Theories, Concepts and Findings. New York: Oxford University Press, 2012.

LATOUR, Bruno; WOOLGAR, Steve. A vida de laboratório: a produção dos fatos científicos. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1997.

______________. A ciência em ação: como seguir cientistas e engenheiros sociedade afora. São Paulo: Editora da UNESP, 2000.

MASSEY, Doreen. Um sentido global do lugar. In: ARANTES, Antonio (org.). O espaço da diferença. Campinas: Papirus, 2000. p. 176 – 185.

_______________. Concepts of space and power in theory and in political practice. Barcelona: Documents d'Anàlisi Geogràfica, 2009, p. 15-26.

MEDEIROS, Jean Maicon Rickes; MARQUEZ, Allan Cancian; REIS, Nelson Aloysio; GONÇALVES, Bianca Bortolon. Oficina Gephi: Mapeando e analisando a vida das redes sociais. Disponível em: <http://disciplinas.stoa.usp.br/pluginfile.php/1174182/mod_resource/content/1/Apostila%20Oficina%20Gephi.pdf>. Acesso em 10/08/2016.

SALGADO, André Augusto Rodrigues; MENDES, Joseane Biazini; AMARAL, Jonas Rodrigo. Contabilização das citações bibliográficas da revista brasileira de geomorfologia: identificação das obras e autores clássicos (Nota técnica). Revista Brasileira de Geomorfologia, Brasília, v.10, n.1, p.115-118, 2009.

SANT’ANNA NETO, João Lima. Balanço e perspectivas da pós-graduação em geografia no Brasil – considerações sobre a avaliação trienal de 2010/2012. Revista da ANPEGE, v. 10, n. 14, p. 7-25, 2014.

SILVA, Edson Armando; SILVA, Joseli Maria Silva. Ofício, Engenho e Arte: Inspiração e Técnica na Análise de Dados Qualitativos. Revista Latino-americana de Geografia e Gênero, Ponta Grossa, v. 7, n. 1, p. 132 - 154, jan. / jul. 2016.

SPOSITO, Eliseu Savério. A Pós-Graduação Em Geografia no Brasil: Avaliação e tendências, In: Eliseu Savério Sposito; João Lima Sant'anna Neto e Everaldo Santos Melazzo. (Org.). A diversidade da Geografia Brasileira: escalas e dimensões da análise e da ação. 1ed. Rio de janeiro: Editora Consequência, 2016, v. 1.

TARGINO, Maria das Graças. Produção Intelectual, Produção Científica, Produção Acadêmica: facetas de uma mesma moeda? In: CURTY, Renata Gonçalves. (Org.) Produção Intelectual no Ambiente Acadêmico. Londrina: UEL/CIN, 2010.

YI, Sangyoon; CHOI, Jinho. The organization of scientific knowledge: the structural characteristics of keyword networks. Scientometrics, 90, p. 1015–1026, 2012.

YANG, Siluo; YUAN, Qingli. Are Scientometrics, Informetrics, and Bibliometrics different? In: 16th International Conference on Scientometrics & Informetrics, 2017, Wuhan, p.1507-1518. Disponível em: https://www.issi-society.org/proceedings/issi_2017/2017ISSI%20Conference%20Proceedings.pdf.

Downloads

Publicado

01/07/2021

Como Citar

Pinto, V. A. M., Silva, J. M., & Junckes, I. J. (2021). Hegemonias temáticas, conceituais e de atores da Geografia: O caso da revista da Anpege no Brasil. Revista Da ANPEGE, 17(32), 65–82. https://doi.org/10.5418/ra2021.v17i32.12960

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)