A paisagem vernacular em "O Sertanejo"

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5418/ra2020.v16i31.12388

Palavras-chave:

Geografia, Literatura, Paisagem Vernacular, O Sertanejo

Resumo

O presente texto tem como esteio a compreensão de uma díade formada pela geografia e a literatura. Aqui tencionamos compreender os caminhos não apenas na perspectiva de um leitor que diante da obra “O Sertanejo” de José de Alencar, estabelece uma dissociação de certos elementos presentes no romance para pensar uma espacialidade que se objetiva na paisagem narrada pelo escritor, sendo esta dimensionada por um vernáculo que envolve valores e sentidos pelos quais a paisagem nos remete para um imaginário de uma dada sociedade e nos instiga a pensar o espaço geográfico quando este passa a ser entendido não é apenas como superfície. Dessa forma, buscamos a compreensão de uma paisagem sertaneja narrada por José de Alencar na perspectiva de uma geografia que destaca o caráter excepcional motivado pelas subjetividades onde a linguagem poética reflete com bastante propriedade o caráter emocional narrado no romance expressando assim paisagens e lugares de um ambiente sertanejo.


Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Otávio Jose Lemos Costa, Universidade Estadual do Ceará (UEC)

Doutorado em Geografia pela Universidade Fedreal do Rio de Janeiro.Professor Adjunto no Departamento de Geografia da Universidade Estadual do Ceará-UECE. Professor no Programa de Pos graduaçãoem geografia da UECE. Coordenadr do Laboratório de Estudos em Geografia Cultural. Areas de interesse: Geografia Cultural com enfase para os estudos da imagem, cinema, literatura e religião.

Referências

ALENCAR. José de. O Sertanejo. São Pualo: Martin Claret, 2014

ALMEIDA, José Maurício Gomes de. A tradição regionalista no romance brasileiro: 1857-1945. 2. ed. Rio de Janeiro: Achiamé, 1981

BACHELARD, G. A Poética do Espaço. São Paulo; Martins Fontes, 1993

BERDOULAY, Vincent. Espaço e Cultura. In: CASTRO, I. E. de; GOMES, P. C. C. e CORRÊA, R. L. C. (Org.) Olhares geográficos: modos de ver e viver o espaço. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2012

BESSE, Jean Marc. Entre a geografia e a ética: a paisagem e a questão do bem-estar. Trad. Eliane Kuvasney e Mônica Balestrin Nunes. GEOUSP – Espaço e Tempo, São Paulo, v. 18, n. 2, p. 241-252, 2014

BROSSEAU, M. Geografia e Literatura. CORREA, R. L.; ROSENDAHL, Z. (orgs.) Literatura, Música e Espaço. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2007

BUTTIMER, Anne. Aprendendo o dinamismo do mundo vivido. In: CHRISTOFOLETTI, A. C. (Org.). Perspectivas da geografia. São Paulo: Difel, 1985. p. 165-193

CANDIDO, Antônio. Formação da Literatura Brasileira: momentos decisivos. (2º vol.) Belo Horizonte: Villa Rica Editoras Ltda., 2000

CASSIRER, E. Espace mythique espace esthétique espace théorique. In: Écrits sur l’art. Paris: Éd. du Cerf, 1995. p. 101-122.

COLLOT, Michel. Poética e Filosofia da Paisagem. Trad. Ida Alves, Rio de Janeiro: Editora Oficina Raquel, 2013

COSGROVE, Denis. A geografia está em toda parte: cultura e simbolismo nas paisagens humanas. In: ROSENDAHL, Z. e CORREA, R.L. (Org.) Geografia Cultural: uma antologia Rio de Janeiro: EdUERJ, 2012

COSGROVE, Denis e JACKSON, Peter. Novos Rumos da Geografia Cultural. In: CORREA, R. L.; ROSENDAHL, Z. (Org.) Geografia Cultural: um século (2): Rio de Janeiro EdUERJ, 2007

COSTA, Otávio José Lemos. A Imaginação Geográfica e a Representação dos Lugares Sagrados. Espaço e Cultura, n. 32, p. 48-60, Jul-Dez, 2012

DAMERY, Claire. Espace public, patrimoine et milieu affectif: exemples du Marais d'Orx et du Domaine d'Abbadia. 2008. 501f. Thèse (Doctorat). Disponível em: www.theses.fr/2008PAUU1004. Acesso em: 01/03/2018

DARDEL, Eric. L’Homme e la Terre. Paris: Editions du CTHS, 1990.

JACKSON, Jonh Brinckerhoff. Discovering the vernacular landscape. New Haven and London: Yale University Press, 1984

LONGHURST, R. Introduction: Subjectivities, Spaces and Places. In: ANDERSON, K. DOMOSH, M. PILE, S. e THRIFT, N. (Org.) Handbook of Cultural Geography. London, Sage Publications, 2003. p. 283-289

LUCHIARI, M. T. D. P. A (re)significação da paisagem no período contemporâneo. In: CORREA R. L. e ROSENDAHL, Z. (Orgs.) Paisagem, Imaginário e espaço. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2001

MARANDOLA JR. E. Geograficidades vigentes pela literatura. In: SILVA, M.A. da; SILVA, H. R. F. da (Org.) Geografia, literatura e arte: Salvador: EdUFBA, 2010. p. 21-32

OLIVEIRA, Lívia de. O Sentido de Lugar. In: MARANDOLA JR. E.; HOLZER, W.; OLIVEIRA, L. (Org.). Qual o espaço do lugar? Geografia, Epistemologia, Fenomenologia. São Paulo: Perspectiva, 2012. p. 3-16

RELPH, Edward. Place and Placelessness. London: Pion Limited, 1976

SOKAL, A. Imposturas Intelectuais. Rio de Janeiro: Record, 2006

SORRE, Max. A noção de gênero de vida e seu valor atual. In: CORREA, R.; ROSENDHAL, Z. (orgs.) Geografia Cultural: um século(3). Rio de Janeiro: EdUERJ, 2002

TUAN, Yi-Fu. Espaço e Lugar: a perspectivada experiência. Tradução de Livia de Oliveira. São Paulo: DIFEL, 1983

TUAN, Y-Fu. Space and Place: humanistic perspective. In GALE, S. OLSON, G. (orgs.) Philosophy in geography. Dordrecht: Reidel, 1979. p. 387-427

Downloads

Publicado

08/03/2021

Como Citar

Costa, O. J. L. (2021). A paisagem vernacular em "O Sertanejo". Revista Da ANPEGE, 16(31), 320–331. https://doi.org/10.5418/ra2020.v16i31.12388

Edição

Seção

Seção Temática - Geografia e Literatura

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.