Efeito de doses de polímero hidroabsorvente no enraizamento de estacas de amoreira

Autores

  • Rodrigo Amato Moreira Universidade Federal de Lavras
  • José Darlan Ramos Universidade Federal de Lavras
  • Maria do Céu Monteiro da Cruz Universidade Federal dos Vales
  • Larissa Villar IAC
  • Oscar Mariano Hafle Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Palavras-chave:

mudas de amora, substrato, Bombyx mori

Resumo

A propagação da amoreira (Morus sp.) é realizada principalmente pelo método da estaquia, entretanto, os estudos relacionados aos tipos de estaca e substratos mais adequados para a sua propagação são escassos. Dessa forma o trabalho foi realizado com o objetivo de avaliar o efeito da adição de diferentes doses do polímero hidroabsorvente no enraizamento de dois tipos de estacas de amoreira. Foi utilizado o esquema fatorial 2 x 4, no delineamento inteiramente casualizado, com quatro repetições e cinco estacas por parcela experimental. Os tratamentos consistiram de dois diâmetros da estaca (7-10 mm e 4-7 mm) e quatro doses do polímero hidroabsorvente Supragua® (0, 3, 6 e 9 g L-1). Aos 90 dias após o plantio foram realizadas as avaliações da porcentagem de enraizamento, comprimento da parte aérea (cm), número de brotações, número de folhas e comprimento da raiz (cm). Os dados obtidos foram submetidos à análise de variância, correlação de Pearson e regressão polinomial, encolhendo os modelos com base na significância de 5% de probabilidade de erro. Os resultados mostraram que mudas de amoreira podem ser formadas por estacas com diâmentro entre 4 e 10 mm e que a incorporação do polímero hidroabsorvente ao substrato na dose de 5 g L-1 favoreceu o melhor desenvolvimento das mudas de amoreira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rodrigo Amato Moreira, Universidade Federal de Lavras

Possui graduação em Agronomia (2008) e mestrado em Agronomia/Fitotecnia área de concentração Produção Vegetal (2010) pela Universidade Federal de Lavras. Atualmente está inserido no programa de Doutorado em Agronomia/Fitotecnia no Departamento de Agricultura da Universidade Federal de Lavras, bolsista CAPES. Desenvolve pesquisas com Fruticultura, especificamente com propapação e adubação de pitaia e raleio químico na produção e qualidade de tangerina 'Ponkan'

José Darlan Ramos, Universidade Federal de Lavras

Concluiu o curso de Graduação em Engenharia Agronômica pela Universidade Federal de Viçosa (UFV) em 1977, obtendo o título de "Engenheiro Agrônomo". Seu curso de Mestrado em Agronomia/Genética e Melhoramento de Plantas na Universidade Federal de Lavras (UFLA), foi concluído em 1990. O título de Doutor em Fitotecnia foi obtido no curso de Doutorado em Agronomia (Fitotecnia) que foi concluído em 1994 pela Universidade Federal de Lavras (UFLA). Atualmente é Docente do Quadro Permanente Departamento de Agricultura (DAG) da Universidade Federal de Lavras - UFLA, sendo Professor Associado II, ministrando aulas em Fruticultura Geral, Propagação de Frutíferas, Citricultura e Maracujazeiro. Orienta e realiza pesquisas com Melhoramento de Porta-enxertos cítricos, Melhoramento de Ameixeiras, Propagação de Frutíferas, Cultura de Tecidos Vegetais e Manejo do pomar.

Maria do Céu Monteiro da Cruz, Universidade Federal dos Vales

Possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal da Paraíba, Mestrado em Fitotecnia/Produção Vegetal pela Universidade Federal de Viçosa e Doutorado em Agronomia/Fitotecnia pela Universidade Federal de Lavras, atuando em projetos relacionados à area de Fruticultura. Atualmente é Professora da UFVJM. Atua na área de Fitotecnia, com ênfase em Fruticultura nos seguintes temas: Propagação, manejo da produção e fisiologia de espécies frutíferas.

Larissa Villar, IAC

Engenheira Agrônoma formada pela Universidade Federal de Lavras, Atualmente mestranda do Instituto Agronômico de Campinas, na área de Teconologia da Produção Agrícola, trabalhando com a produção de uvas sem sementes.

Oscar Mariano Hafle, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Professor do Ensino Técnico e Tecnológico no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba, Campus de Sousa IFPB/Sousa/PB. Graduação em Licenciatura Plena em Ciências Agrícolas pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (1986). Mestrado em Agronomia/Fitotecnia pela Escola Superior de Agricultura de Mossoró (2000); Doutor em Agronomia: Fitotecnia (Produção vegetal) pela Universidade Federal de Lavras (2009). Desenvolve pesquisas nos seguintes temas: Fruticultura de clima tropical e sub-tropical (maracujá, mamão, banana, caju, goiaba, manga e citros); armazenamento de frutas; qualidade pós-colheita de frutas; uso de reguladores de crescimento; produção de mudas frutíferas

Downloads

Publicado

16/05/2011

Como Citar

Moreira, R. A., Ramos, J. D., da Cruz, M. do C. M., Villar, L., & Hafle, O. M. (2011). Efeito de doses de polímero hidroabsorvente no enraizamento de estacas de amoreira. Agrarian, 3(8), 133–139. Recuperado de https://ojs.ufgd.edu.br/index.php/agrarian/article/view/913

Edição

Seção

Artigo - Fitotecnia

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)