Reação de genótipos de pessegueiro à podridão parda

Keli Cristina Fabiane, Kamila Cristina Fabiane, Jéssica Scarlet Alves de Oliveira Hossel, Cristiano Hossel, Américo Wagner Júnior, Idemir Citadin

Resumo


A podridão parda, causada pelo fungo Monilinia fructicola (Wint.) Honey, é a principal doença das fruteiras de caroço. Ataca flores, ramos e frutos das plantas hospedeiras, causando severas perdas. Assim, é importante identificar genótipos com alguma resistência à podridão parda, uma vez que podem ser recomendados para uso em programas de melhoramento como futuros genitores em hibridações controladas. O objetivo deste trabalho foi testar a reação dos frutos em genótipos de pessegueiro à podridão parda. Foram avaliados 26 e 29 genótipos de pessegueiro no ciclo produtivo 2009/2010 e 2010/2011, respectivamente. O experimento foi realizado no Laboratório de Fitossanidade da UTFPR – Câmpus Dois Vizinhos. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado, considerando-se cada genótipo de pessegueiro como tratamento, utilizando-se três repetições com nove frutos cada. A inoculação foi realizada sobre a epiderme dos frutos com aspersão de suspensão conidial (1,0 x 105 esporosmL-1) de aproximadamente 0,15 mL de M. fructicola. Os frutos foram observados 72 e 120 horas após a inoculação, sendo avaliada a incidência e severidade da doença. Os genótipos de pessegueiro diferiram para todas as variáveis analisadas (incidência e severidade) nos dois ciclos produtivos. Frutos dos genótipos ‘TropicBeauty’, ‘Bonão’, ‘Cascata 962’, ‘Conserva 1187’, ‘Kampai’, ‘Cascata 1063’, ‘TropicSnow’ e ‘Rubimel’ foram os que apresentaram menor incidência a podridão parda nos ciclos produtivos 2009/2010 e 2010/2011.


Palavras-chave


Melhoramento. Monilinia fructicola. Prunus sp.. Resistência.

Texto completo:

PDF

Referências


BARRETO, C.V.; MORENO, M.B.; SILVA, P.S.; MALGARIM, M.B.; FACHINELLO, J.C. Ácido salicílico na pós-colheita para redução de podridão parda emanutenção qualidade de pêssego ‘Chiripá’. Revista Iberoamericana de Tecnología Postcosecha, v.17, n.1, p.50-57, 2016.

BASSETTO, E.; AMORIM, L.; BENATO, E. A.; GONÇALVES, F. P.; LOURENÇO, S. A. Efeito da irradiação UV-C no controle da podridão parda (Monilinia fructicola) e da podridão mole (Rhizopus stolonifer) em pós-colheita de pêssegos. Fitopatologia Brasileira, v.32, n.5, p. 393-399, 2007.

BASSI, D.; RIZZO M.; CANTONI, L. Assaying brown rot [Monilinia laxa Adern. Et Ruhl. (Honey)] susceptibility in peach cultivars and progeny. Acta Horticulturae. v. 465, p. 715-722, 1998.

CRUZ, C.D. GENES – a software package for analysis in experimental statistics and quantitative genetics. Acta Scientiarum Agronomy, v.35, p.271-276, 2013.

DANNER, M.A.; SASSO, S.A.Z.; MEDEIROS, J.G.S.; MARCHESE, J.A.; MAZARO, S.M. Indução de resistência à podridão-parda em pêssegos pelo uso de eliciadores em pós-colheita. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v.43, n.7, p. 793-799, 2008.

FABIANE, K.C. Reação de pessegueiros a Monilinia fructicola (Wint.) Honey e sua relação com os componentes bioquímicos. Dissertação (Mestrado em Agronomia). UTFPR. 2011, 139 p.

FEHR, W. R. Principles of cultivar development- Theory and Technique. Macmillan Publishing Company, New York, USA.1987, 536p.

GUINET, C.; FOURRIER-JEANDEL, C.; CERF-WENDLING, I.; IOOS, R. One-step detection of Monilinia fructicola, M. fructigena, and M. laxa on Prunus and Malus by a multiplex real-time PCR assay. Plant Disease, v.100, n.12, p.2465-2474, 2016.

MAY-DE MIO, L.L.; MOREIRA, L.M.; MONTEIRO, L.; JUSTINIANO JUNIOR, P. Infecção de Monilinia fructicola no período de floração e incidência de podridão parda em frutos de pessegueiro em dois sistemas de produção. Tropical Plant Pathology, v.33, n.3, p.227-234, 2008.

MIRANDA, B.E.C.; BOITEUX, L.S.; CRUZ, E.M.; REIS, A. Fontes de resistência em acessos de Solanum (secção Lycopersicon) a Verticillium dahliae raças 1 e 2. Horticultura Brasileira. v. 28, p. 458-465, 2010.

NEGRI, G.; BIASI, L.A.; WORDELL FILHO, J.A.; MAY-DE MIO, L.L. Manejo da queima das flores e da podridão-parda do pessegueiro cultivado em sistema orgânico. Revista Brasileira de Fruticultura, Volume Especial, p.415-423, 2011.

PAPAVASILEIOU, A.; TESTEMPASIS, S.; MICHAILIDES, T.J.; KARAOGLANIDIS, G.S. Frequency of brown rot fungi on blossoms and fruit in stone fruit orchards in Greece. Plant Pathology, v.64, p.416–42 4, 2015.

PAVANELLO, E.P.; BRACKMANN, A.; THEWES, F.R.; BOTH, V.; SANTOS, J.R.A.; SCHORR, M.R.W. Efficiency of fungicides in the control of brown rot in peaches and its relationship with physiological parameters of the fruits. Semina: Ciências Agrárias, v.36, n.1, p. 67-76, 2015.

SANTOS, J.; RASEIRA, M.C.B, ZANANDREA, I. Resistence to brown rot in peach plants. Bragantia, v.71, n.2, p.219-225, 2012.

SCHLAGBAUER, H.E.; HOLZ, G. Occurrence of latent Monilinia laxa infections on plums, peaches e apricots. Phytophylactica, v.21 n.1 p.35-38, 1989.

WAGNER JÚNIOR, A.; RASEIRA, M.C.B.; PIEROBOM, C.R.; FORTES, J.F.; SILVA, J.B. Non-Correlation of Flower and Fruit Resistance to Brown Rot [Monilinia fructicola (Wint.) Honey] Among 27 Peach Cultivars and Selections. Journal of the American Pomological Society, v.59, n.3, p. 148-152, 2005.

WAGNER JÚNIOR, A.; RASEIRA, M.C.B.; PIEROBOM, C.R.; SILVA, J.B.; FRANZON, R.C. Avaliação de diferentes genótipos de pessegueiro quanto à reação a Moniliniafructicola(Wint.) Honey em frutos. Revista Ceres, v. 55, n.2, p.083-088, 2008.

WAGNER JÚNIOR, A., FABIANE, K.C., OLIVEIRA, J.S.M.A., ZANELA, J., CITADIN, I. Divergência genética em pessegueiros quanto à reação à podridão-parda em frutos. Revista Brasileira de Fruticultura, v.33, n.spe1, p.552-557, 2011.




DOI: https://doi.org/10.30612/agrarian.v13i49.8508

URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/3.0/br/

Revista Agrarian 
e-ISSN 1984-2538

Licença Creative Commons

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.