Efeitos de métodos de superação de dormência em sementes de pinha (Annona squamosa L.)

Autores

  • Miguel Lara Menegazzo Unesp/Botucatu
  • Alessandra Conceiçao Oliveira UNESP/ Botucatu
  • Stela Maris Kulczynski UFSM/Santa Maria
  • Elisângela Aparecida da Silva UFLA/Lavras

Palavras-chave:

fruta do conde, qualidade fisiológica, propagação

Resumo

A pinha é propagada por sementes e enxertia, sendo que as sementes dessa espécie apresentam substâncias inibidoras de germinação que, conjuntamente com um tegumento resistente e impermeável dificultam a germinação. Este trabalho foi conduzido na área experimental do curso de Agronomia, da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, com o objetivo de avaliar os efeitos de métodos químicos, físicos e mecânicos de superação de dormência em sementes de pinha. O experimento foi realizado em delineamento de blocos inteiramente casualizados, sendo os tratamentos compostos por oito métodos de superação de dormência e a testemunha. Os métodos foram: imersão das sementes em ácido giberélico (100 ppm por 24 horas e 250 ppm por 5 horas), ácido sulfúrico concentrado (5, 10 e 15 minutos), água quente (30ºC e 60ºC) por um minuto, escarificação com lixa e testemunha. As avaliações constaram de germinação (%), altura de plântula (cm), comprimento de raiz (cm), massa verde da parte aérea e da raiz (g), massa seca da parte aérea e da raiz (g). Os dados foram submetidos à análise de variância e as médias comparadas pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade. Verificou-se que o ácido giberélico (100 ppm por 24 horas e 250 ppm por 5 horas) proporcionou maior porcentagem de germinação e melhor desenvolvimento de plântulas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Miguel Lara Menegazzo, Unesp/Botucatu

2Mestrando em Ciência Floresta pela Faculdade de Ciências Agronômicas/Unesp - Seção de Pós-Graduação Fazenda Experimental Lageado - Caixa Postal 237, Rua José Barbosa de Barros, 1780 - CEP 18610-307 Botucatu / SP Fone/Fax: (14) 3811-7100. E-mail: miguelmenegazzo@hotmail.com

Alessandra Conceiçao Oliveira, UNESP/ Botucatu

Doutoranda em Irrigação e Drenagem pela UNESP Campus de Botucatu/SP.

Stela Maris Kulczynski, UFSM/Santa Maria

2Professora Adjunta do Departamento de Agronomia da Universidade Federal de Santa Maria_UFSM/ CESNORS. Campus de Frederico Westphalen-RS. Linha 7 de Setembro, BR 386, Km 40. CEP: 98400-000. Frederico Westphalen-RS. Fone:(55)3744-8964. Email:stelamk@terra.com.br.

Elisângela Aparecida da Silva, UFLA/Lavras

5Doutoranda em Fitotecnia pela Universidade Federal de Lavras - UFLA/ Lavras – MG - Campus Universitário - Prédio da Reitoria - Caixa Postal: 3037 - CEP 37200-000. Fone/Fax: (35) 3829-11003829-1122. E-mail: easag@hotmail.com.

Downloads

Publicado

12/04/2012

Como Citar

Menegazzo, M. L., Oliveira, A. C., Kulczynski, S. M., & Silva, E. A. da. (2012). Efeitos de métodos de superação de dormência em sementes de pinha (Annona squamosa L.). Agrarian, 5(15), 29–35. Recuperado de https://ojs.ufgd.edu.br/index.php/agrarian/article/view/1285

Edição

Seção

Artigo - Fitotecnia

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)