Custo de produção de rações alternativas para peixes onívoros no estado do Pará, Amazônia, Brasil

Marcos Ferreira Brabo, Ana Raquel Leite da Silva, Kaio Diego das Neves Barros, Renato Pinheiro Rodrigues, Daniel Abreu Vasconcelos Campelo, Galileu Crovatto Veras

Resumo


Avaliou-se o custo de produção de ração alternativa para peixes onívoros. As informações sobre ingredientes e preços (varejo) foram obtidas mensalmente de dezembro/2014 a novembro/2015 em Belém, Santa Izabel do Pará, Castanhal, Santa Maria do Pará e Bragança. Posteriormente, foram formuladas rações e calculados os custos pela estrutura de custo operacional. O processamento considerou quatro etapas, desde a “mistura” ao “resfriamento”, e tudo obedeceu a demanda hipotética de piscicultura em viveiro escavado com 0,2 hectares de lâmina d’água. Constatou-se que a maioria dos ingredientes estiveram disponíveis ao longo do ciclo de produção e outros apresentaram sazonalidade. As rações formuladas tiveram de 28 a 45% de proteína bruta e custo de R$ 1,88 a R$ 2,38 por quilo, respectivamente. Houve baixo custo de produção, sugerindo menor preço de mercado se comparado aos preços praticados para rações industrializadas na região.


Palavras-chave


Aquicultura. Manejo alimentar. Nutrição de peixes.

Texto completo:

PDF

Referências


Brabo, M.F., Dias, B., Santos, L., Ferreira, L., Veras, G., Chaves, R. (2014). Competitividade da cadeia produtiva da piscicultura no Nordeste paraense sob a perspectiva dos extensionistas rurais. Informações Econômicas, 44 (5), 1-13.

Brabo, M.F., Flexa, C.C.E., Veras, G.C.G., Paiva, R.S., Fujimoto, R.Y. (2013). Viabilidade econômica da piscicultura em tanques-rede no reservatório da usina hidrelétrica de tucuruí, estado do Pará. Informações Econômicas, 43 (3), 56-64.

Brabo, M.F., Veras, G.C., Campelo, D.A.V., Paixão, D.J.M.R., Costa, M.W.M. (2016). Piscicultura no Estado do Pará: planejamento e estratégias de produção [Versão digital].

Cardinal, K.M., Costa, J.L.B., Ribeiro, A.M.L. (2019). Princípios básicos na formulação de rações. PubMed, 13 (9), 1-7. doi: 10.31533/pubvet.v13n9a410.1-7

Cyrino, J.E.P., Bicudo, A.D.A., Sado, R.Y., Borghesi, R., Dairiki, J.K. (2010). A piscicultura e o ambiente: o uso de alimentos ambientalmente corretos em piscicultura. Revista Brasileira de Zootecnia, 39 (1), 68-87. doi:10.1590/S1516-35982010001300009

Cyrino, J.E.P., Carneiro, P.C.F., Bozano, G.L.N., Caseiro, A.C. (1998). Desenvolvimento da criação de peixes em tanques-rede: Uma análise dos fundamentos, viabilidade e tendências, baseada em experiências bem-sucedidas no Sudeste do Brasil. In Anais do Simpósio Brasileiro de Aquicultura X (p. 409). Recife, PE.

Dairiki, J.K., Da Silva, T.B.A. (2011). Revisão de literatura: exigências nutricionais do tambaqui-compilação de trabalhos, formulação de ração adequada e desafios futuros [Versão digital].

Furuya, W.M., Pezzato, L.E., Barros, M.M., Boscolo, W.R., Cyrino, J.E.P., Furuya, V.R.B., Feiden, A. (2010). Tabelas brasileiras para a nutrição de tilápias. Toledo, PR.

Izel, A.C.U., Melo, L.A.S. (2004). Criação de tambaqui (Colossoma macropomum) em tanques escavados no Estado do Amazonas [Versão digital].

Kubitza, F. (2009). Manejo na produção de peixes. Panorama da Aquicultura, 19 (111), 14-27.

Macedo, C.F., Sipaúba-Tavares, L.H. (2018). Eutrofização e qualidade da água na piscicultura: consequências e recomendações. Boletim do instituto de Pesca, 36 (2), 149-163.

Matsunaga, M., Bemelmans, P.F., Toledo, P. (1976). Metodologia de custo de producao utilizada pelo IEA. Agricultura em Sao Paulo. 23 (1),123-139.

Moro, G.V., Rodrigues, A.P.O. (2015). Rações para organismos aquáticos: tipos e formas de processamento [Versão digital].

Oliveira, R. (2015). O panorama da aquicultura no Brasil: a prática com foco na sustentabilidade. Revista Intertox de Toxicologia, Risco Ambiental e Sociedade, 2 (1), 71-89. doi: 10.22280/revintervol2ed1.18

Ribeiro, P.A.P., Melo, D., Costa, L.S., Teixeira, E. (2012). Manejo nutricional e alimentar de peixes de água doce [Versão digital].

Salaro, A.L. (2009). Manejo e nutrição de peixes em tanques-rede [Versão digital].

Schmidt, G.S., Zanotto, D.L., Junior, A.C., Scheuermann, G.N. (2017). Impacto econômico do ajuste da energia metabolizável do milho na formulação de rações de frango de corte. In Anais do Seminário técnico científico de aves e suínos XVI (p. 1). Florianópolis, SC.

Sonoda, D.Y., França, E.D., Cyrino, J.E.P. (2016). Modelo de preço de ração para peixe no período de 2001 a 2015. Revista iPegece, 2 (3), 57-51. doi: 10.22167/r.ipecege.2016.3.57

Ono, E.A. (1998). Formação de preços das rações comerciais para peixes. In Anais do Simpósio Sobre Manejo e Nutrição de Peixes II ( p. 172). Campinas, SP.




DOI: https://doi.org/10.30612/agrarian.v14i51.10670

URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/3.0/br/

Revista Agrarian 
e-ISSN 1984-2538

Licença Creative Commons

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.