Caracteres de produção e índice ClorofiloG® de treze híbridos de milho no norte de Mato Grosso

Cassiano Spaziani Pereira, Victor Hugo Zanetti, Mateus Schoffen, Gabriel Wiest, Ivan Vilela Andrade Fiorini

Resumo


O milho é a segunda cultura mais semeada em Mato Grosso, perdendo apenas para soja. Porém, a produtividade da cultura no estado ainda está abaixo do teto produtivo, com média de 6000 kg ha-1. Um dos problemas no momento da semeadura é a escolha do híbrido ideal para semeadura na época correta. O objetivo do trabalho foi verificar o desempenho de 13 híbridos comerciais de milho, mensurando suas características agronômicas em uma área de médio investimento no norte de Mato Grosso. O delineamento experimental foi por blocos casualizados com 3 repetições os híbridos avaliados foram SYN 505 VIP 3, SYN 455 VIP 3, SYN 522 VIP 3, NS 77 PRO 2, NS 73 VIP 3, NS 45 VIP 3, 2A401 PW, B2612 PWU, 2B433 PW, DKB 255 PRO 3, DKB 363 PRO 3, DKB 360 PRO 3, DKB 335 PRO 3. Foram feitas duas adubações sendo uma no plantio com 200 kg ha-1 de 20-00-20 e uma de cobertura com 250 kg ha-1 de 25-00-18. Foram avaliados o índice de clorofila das folhas clorofiloG®, o número de fileiras na espiga, número de grãos por fileira, diâmetro de espiga, diâmetro de sabugo, massa de sabugo, massa de espiga, comprimento de espiga, massa de mil grãos e a produtividade de grãos. Houve diferenças no índice clorofiloG®, com os maiores valores, para os híbridos de 2A401 e o B2612. Houve diferenças na massa de mil grãos com os maiores valores para os híbridos SYN 505, SYN 455, B2612, DKB 255, DKB 363 e DKB 360, respectivamente. Não houve diferença na produtividade entre os híbridos.

Palavras-chave


Clorofila. Comprimento de espiga. Desempenho de híbridos. Produtividade.

Texto completo:

PDF

Referências


Argenta, G.; Silva, P.R.F.; Bortolini, C.G.; Forsthofer, E.L. & Strieder, M.L. (2001) Relação da leitura do clorofilômetro com os teores de clorofila extraível e de nitrogênio na folha de milho. Revista Brasileira Fisiologia Vegetal, 13 (2), 158-167. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-84782001000400027

Azevedo, P.V.; Saboya, L.M.F.; Neto, J.D.; Oliveira, F.S.; Bezerra, J.R.C. & Faria, C.H.A. (2014) Disponibilidade energética para a cultura da cana-de-açúcar nos tabuleiros costeiros do estado da Paraíba. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 18(10), 1031-1038. http://dx.doi.org/10.1590/1807-1929/agriambi.v18n10p1031-1038

Araújo, S.L; Silva, J.A.S.; Silva, P.M.; Silva, L.G.B.; Valente, M.S.; SIQUEIRA, M.R.S., & Cunha, P.C.R. (2018) Produtividade de milho (Zea mays) consorciado com Urochloa brizantha em diferentes espaçamentos de plantio no sudeste de Goiás. Agrarian, 11 (42), 307-318.

Brevant (2019) Híbridos de milho. Disponível em: . Acesso em: 08 jul. 2019.

Coelho, A.M.; França, G.E.; Pitta, G.V.E; Alves V.M.C. & Hernani L.C. (2008) Fertilidade de solos: nutrição e adubação do milho. In: Cruz, JC (Ed.). Cultivo do milho. 5. ed. Sete Lagoas: Embrapa Milho e Sorgo.

Dekalb. (2019) Híbridos de milho. Disponível em: . Acesso em: 08 jul. 2019.

Durães, F.O.M. (2007) Limitações fisiológicas do milho nas condições de plantio nas regiões tropicais baixas. Disponível em: . Acesso em: 09 jul. 2019.

Fancelli, A.L.& Dourado-Neto, D. (1999) Tecnologia da produção de milho. Piracicaba: FEALQ/ ESALQ/USP.

Ferreira, A.C.B. (1997) Efeitos da adubação com N, Mo, Zn sobre a produção, qualidade dos grãos e concentração de nutrientes no milho. Dissertação (Mestrado), Viçosa: Universidade Federal de Viçosa.

Ferreira, D.F. (2011) Sisvar: A computer statistical analysis system. Ciência e Agrotecnologia, 35 (6) 1039-1042.

Kappes, C. (2013) Sistemas de cultivo de milho safrinha no Mato Grosso. In: Seminário Nacional de Milho Safrinha, 12, 2013. Anais... Dourados: Embrapa.

Magalhães, P.C. & Durães, F.O.M. (2006) Fisiologia da Produção de Milho. Sete Lagoas: Embrapa Milho e Sorgo.

Modolo, A.J.; Carnieletto, R.; Kolling, E.M.; Trogello, E. & Sgarbossa, M. (2010) Desempenho de híbridos de milho na Região Sudoeste do Paraná sob diferentes espaçamentos entre linhas. Revista Ciência Agronômica, 41 (3) 435-44.

Mohammadi, S.A.; Prasanna, B.M. & Singh, N.N. (2003) Sequential path model for determining interrelationship among grain yield related characters in maize. Crop Science, 43 (5), 1690-1697.

Malavolta, E.; Vitti, G.C. & Oliveira, S.A. (1997) Avaliação do estado nutricional das plantas: princípios e aplicações. 2ª ed. Piracicaba: Potafos.

Ritchiei, S.W.; Hanway, J.J. & Benson, G.O. (2003) Como a planta de milho se desenvolve. Informações Agronômicas, 15 (103), 1-20.

Santos, H.G.; Jacomini, P.K.T.; Anjos, L.H.C.; Oliveira, V.A.; Lumbreras, J.F.; Coelho, M.R.; Almeida, J.A.; Cunha, T.J.F.; Oliveira, J.B. (2013) Sistema Brasileiro de Classificação de Solos. 3ª ed. Brasília: Embrapa Solos.

Sousa, D.M.G. & Lobato, E. (2004) Cerrado: correção do solo e adubação. 2ª ed. Brasília: Embrapa Informação Tecnológica.




DOI: https://doi.org/10.30612/agrarian.v14i52.10333

URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/3.0/br/

Revista Agrarian 
e-ISSN 1984-2538

Licença Creative Commons

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.