Leituras de um tempo perdido: o leitor fragmentado do mundo virtual

Ana Júlia Poletto, João Claudio Arendt

Resumo


As novas tecnologias trazem novas formas de ler e escrever o mundo. O presente ensaio navega por alguns sites e percorre páginas antigas, impressas, em busca de um diálogo entre dois tempos de leitura: o do leitor que mansamente percorre o papel, e o do leitor que abre e fecha janelas. Um em busca de prazer, o outro, de informação. Seguem, assim, algumas considerações sobre a literatura de holofotes, de textos coletivos e a busca de formas para cativar leitores cada vez mais velozes e fragmentados.

Palavras-chave


Literatura digital. Minicontos. Leitura. Percepção tecnológica.

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.