Fontes, teorias e métodos na escrita histórica sobre os protestantes e pentecostais no estado do Tocantins

Vasni de Almeida

Resumo


O conhecimento sobre igrejas evangélicas tradicionais e pentecostais no Brasil, no ano que se comemora os 500 anos da Reforma Protestante, requer incursões em pesquisas que cercam as escritas históricas sobre esse campo religioso, realizadas em várias regiões do país. É com essa intenção que pretendemos apresentar, neste artigo, os estudos sobre igrejas evangélicas tradicionais e pentecostais no Tocantins, estado localizado na Região Norte do Brasil. Consideramos um texto dessa natureza importante no sentido de expor as pluralidades de estratégias e representações religiosas verificadas no campo evangélico brasileiro – um campo ainda muito complexo e lacunar. Partimos da premissa de que é necessário escrever sobre denominações religiosas tomando como ponto de partida os saberes sobre práticas de conquista de fiéis, formação de identidades, normatização de condutas, estruturas de poder, o gênero, entre outros, sempre com o cuidado de se explicitar as fontes e bibliografia utilizadas, bem como os referenciais teóricos assumidos, fazendo emergir daí uma escrita histórica problematizadora.

Palavras-chave


Protestantismo. Pentecostalismo. Sociedade. Cultura. Religião.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.30612/frh.v19i34.7594

Fronteiras: Revista de História - PPGH/FCH/UFGD
 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.