“Admita que vc não tem útero”: violências de candomblecistas a mulheres transexuais e travestis do candomblé no Facebook

Eduardo Meinberg de Albuquerque Maranhão Fº

Resumo


Nesse artigo, procuro apresentar algumas reflexões introdutórias e inconclusivas acerca das tentativas de aniquilar e estigmatizar mulheres transexuais e travestis candomblecistas, realizadas a partir de comentários de pessoas também candomblecistas no Facebook.

Palavras-chave


Livro didático. História do Brasil. Ensino de História.

Texto completo:

PDF

Referências


BERGER, Peter Ludwig; LUCKMANN, Thomas. A construção social da realidade, Petrópolis, Vozes, 1985.

GOFFMAN, Erving. Estigma: notas sobre a manipulação da identidade deteriorada. Rio de Janeiro: LTC S.A., 1988.

HERVIEU-LÉGER, Danièle. O peregrino e o convertido: a religião em movimento. Petrópolis: Vozes, 2008.

ISHTAR, Laylah E. Identidade de Gênero X Umbanda e Candomblé. In: MARANHÃO Fº, Eduardo Meinberg de Albuquerque (Org.). Dossiê (In)visibilidade Trans. In: História Agora, São Paulo, 1, 15, 2013.

MACEDO, Edir. Orixás, Caboclos & Guias. Deuses ou demônios? Rio de Janeiro: UNIPRO Editora, 2008.

MARANHÃO Fº, Eduardo Meinberg de Albuquerque. A aniquilação de uma mulher transsexual no candomblé através do Facebook. In: SOUZA, Sandra Duarte de; SANTOS, Naira Pinheiro dos (Orgs.). Estudos Feministas e Religião: tendências e debates. Curitiba: Prismas, 2014.

MARANHÃO Fº, Eduardo Meinberg de Albuquerque. Anotações sobre a “inclusão” de travestis e transexuais a partir do nome social e

mudança de prenome. In: MARANHÃO Fº, Eduardo Meinberg de Albuquerque (Org.). Dossiê (In) Visibilidade Trans 1. História Agora, São Paulo, v.1, n. 15, p. 29-59, 2013.

MARANHÃO Fº, Eduardo Meinberg de Albuquerque. A Pomba-gira Lady Gaga e a travesti indígena: (Re/des) fazendo gênero no Alto Rio

Negro. In: Mouseion (UniLasalle), v. 22, pp. 151-175, 2015.

MARANHÃO Fº, Eduardo Meinberg de Albuquerque. “Falaram que Deus ia me matar, mas eu não acreditei”: intolerância religiosa e de gênero no relato de uma travesti profissional do sexo e cantora evangélica. In: MARANHÃO Fº, Eduardo Meinberg de Albuquerque (Org.). Dossiê Gênero em Movimento. História Agora, São Paulo, n. 12, p. 198-216, 2011.

MARANHÃO Fº, Eduardo Meinberg de Albuquerque. “Inclusão” de travestis e transexuais através do nome social e mudança de prenome:

diálogos iniciais com Karen Schwach e outras fontes. Oralidades – Revista de História Oral da USP, dossiê Diversidades e Direitos, p. 89-116, 2012.

MARANHÃO Fº, Eduardo Meinberg de Albuquerque. (Re/des)conectando gênero e religião. Peregrinações e conversões trans* e ex-trans* em narrativas orais e do Facebook. Tese de Doutorado apresentada ao Programa de Pós Graduação em História Social da Universidade de São Paulo. São Paulo, 2014.

MENEZES, Isabella. Intolerância religiosa no espaço público: estudos de casos. In: MARANHÃO Fº, Eduardo Meinberg de Albuquerque (Org.). Anais do 1º Simpósio Sudeste da ABHR, 1º Simpósio Internacional da ABHR, Diversidades e (In)Tolerâncias Religiosas. São Paulo, ABHR, 2013 (p. 1005-1012).

MOLICA, Fernando. Em livro, Crivella ataca religiões e homossexualidade: ‘terrível mal’. Disponível em: http://oglobo.globo.com/brasil/em-livro-crivella-ataca-religioeshomossexualidade-terrivel-mal-2029673. Acesso em: 16/out/2016.

RODRIGUEZ, Manuela. Travestis buscando axé: Gênero e sexualidade em religiões de matriz africana na Argentina. In: MARANHÃO Fº, Eduardo Meinberg de Albuquerque (Org). (In)Visibilidade Trans 1. História Agora, v.15, nº 1, p. 260-282, 2013.

RODRIGUEZ, Tássio Acosta. A pomba-gira sou eu: aspectos da identidade transsexual com a religiosidade afro. In: MARANHÃO Fº, Eduardo Meinberg de Albuquerque (Org.). Anais do 1º Simpósio Sudeste da ABHR, 1º Simpósio Internacional da ABHR, Diversidades e (In)Tolerâncias Religiosas. São Paulo, ABHR, 2013 (p. 1603-1611).

RIOS, Luis Felipe. Em busca da tradicionalidade: geração, gênero e sexualidade no candomblé baiano-carioca. Boletim sexualidade, gênero e sociedade, n. 17. Rio de Janeiro: Cepesc/UERJ. 2004.

RIOS, Luis Felipe. “Loce loce metá rê-lê!”: posições de gênero-erotismo entre homens com práticas homossexuais adeptos do candomblé do Recife. Revista Pólis e Psique, vol. 1, 2011.

SILVA, Vagner Gonçalves da; LODY, Raul. Joãozinho da Goméia: O lúdico e o sagrado na exaltação do candomblé. Caminhos da Alma – Coleção Memória Afro-Brasileira, vol. 1. São Paulo: Selo Negro, 2002.

VITAL DA CUNHA, Christina. “Traficantes evangélicos” e intolerância religiosa nas favelas hoje: o caso de Acari, no Rio de Janeiro. ANAIS do XI Congresso Luso Afro Brasileiro de Ciências Sociais, Universidade Federal da Bahia (UFBA), 2011.

USARSKI, Frank. A retórica da aniquilação. Uma reflexão paradigmática sobre recursos de rejeição e alternativas religiosas. In: REVER (PUCSP), 1, 1, São Paulo, p. 91-111, 2001.




Fronteiras: Revista de História - PPGH/FCH/UFGD
 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.