ANÁLISE DA COMPOSIÇÃO GRAVIMÉTRICA E SUGESTÃO DE UM PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS EM UM RESTAURANTE NO MUNICÍPIO DE IGUATEMI, MS, BRASIL.

João Vitor Corrêa Gonçalves

Resumo


Após a implantação da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), instituída pela Lei Federal nº 12.305/2010, as instituições públicas e privadas, juntamente com a sociedade, passaram a integrar a cadeia de gestão de resíduos sólidos, sendo obrigatório destinar corretamente todo o resíduo que é gerado em suas atividades de forma que a disposição seja minimamente impactante ao ambiente. O objetivo deste trabalho foi realizar a análise da composição gravimétrica dos resíduos sólidos gerados em um restaurante, localizado no município de Iguatemi, no estado de Mato Grosso do Sul. Para tal foram coletados os resíduos gerados no estabelecimento durante 06 dias (de segunda-feira a sábado) realizando-se em seguida a pesagem e composição gravimétrica dos resíduos. Observou-se que o restaurante gera uma quantidade de 79,10 kg de resíduos por semana, sendo que 65,30 kg são representados por matéria orgânica, 6,80 kg por alumínio, 3,45 kg de papel, 2,15 kg de embalagens tipo PET, 0,75 kg de plásticos e 0,65 kg de tampas de garrafas. Do total de resíduos, cerca de 80% é representado por resíduos úmidos (material orgânico) e 20% por resíduos secos (outros materiais). Após a análise das atividades do local e da disposição atual dos resíduos uma das soluções mais viáveis seria a conscientização dos integrantes desse estabelecimento sobre a importância da separação dos resíduos sólidos, priorizando-se a princípio a separação binária entre resíduos secos e úmidos, com o propósito de facilitar a coleta e disposição final dos mesmos, bem como a compostagem do material orgânico.

 

Palavras-chave


Gravimetria. Resíduos Sólidos. Compostagem.

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, N. C.; QUEIROZ, A. J. P.; GUIMARÃES, P. L. F.; GOMES, A. A. Gravimetria e abordagem econômica dos resíduos sólidos urbanos do município de Barra do São Miguel - Paraíba. Revista eletrônica em gestão, educação e tecnologia ambiental, Santa Maria. v. 19, n. 3, p. 67-72, 2015.

BESEN, G. R.; GÜNTHER, W. M. R.; RODRIGUES, A.; BRASIL, A. L . Resíduos sólidos: vulnerabilidades e perspectivas. In: SALDIVA P. et al. Meio ambiente e saúde: o desafio das metrópoles. São Paulo: ExLibris. 2010.

BRASIL. Lei 12.305 de 2 de agosto de 2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei no 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Mato Grosso do Sul, Iguatemi. 2016. Disponível em: < http://cidades.ibge.gov.br/xtras/perfil.php?codmun=500430>. Acesso em: 02 jun 2017.

MONTEIRO, J.H.P., FIGUEIREDO, A.F.; MAGALHÃES, A.F.; MELO, M.A.F.; BRITO, J.C.X.; ALMEIDA, T.P.F.; MANSUR, G.L. Manual de Gerenciamento Integrado de Resíduos Sólidos. Rio de Janeiro: IBAM. 204p. 2001.

OLIVEIRA, M. V. C.; CARVALHO, A. R. Princípios básicos do saneamento do meio. SENAC. 1997.

PINHEIRO, T. B.; BARBOSA, D. M.; GOMES, F. S.; GONÇALVES, F. Y.; ARAÚJO, L. R.; RESENDE, T. M. Caracterização dos resíduos sólidos de um restaurante comercial em Patos de Minas, MG. Revista CENAR, Patos de Minas. v. 1, n. 1, 2015.

SECRETARIA DE ESTADO DE MEIO AMBIENTE, DO PLANEJAMENTO, DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA. Plano Estadual de Resíduos Sólidos de Mato Grosso do Sul (PERS-MS). Campo Grande, MS, p. 47, 2014.




DOI: https://doi.org/10.30612/re-ufgd.v5i10.8615

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.