Aprendendo e ensinando a prática de extensão rural no assentamento Vila Rural II em Alta Floresta - MT

Luiz Fernando Caldeira Ribeiro, Jôcelli Nattane Rosalino, Maurício Arruda, Duilhio da Silva Loures, João Paulo da Silva, Pedro Julio Pelegrini, Eduardo Teixeira Maia, Soraia Olivastro Teixeira, Vanessa Bezerra dos Santos

Resumo


Há um evidente descompasso entre a formação dos profissionais das ciências agrárias e a realidade do meio rural, onde os assentamentos são unidades produtivas de agricultores familiares complexas e que demandam atenção em diversas dimensões, além da produtiva. A metodologia deste trabalho foi baseada na pedagogia progressista libertadora, que visa levar educadores e educandos a atingir um nível de consciência da realidade em que vivem na busca de transformação. Foram levantados os saberes locais sobre produção, os gargalos que afetam a produção e métodos de intervenção para a melhoria dos saberes empíricos para a preparação de oficinas, atividades práticas e de material de apoio pelos acadêmicos. Apesar das diferenças dos resultados obtidos, o assentamento não difere da realidade dos assentamentos localizados em todo o Brasil. A reforma agrária deve ser considerada uma vitória pelas famílias assentadas que, além da luta pela terra, deve proporcionar uma melhoria no desenvolvimento integral das famílias, levando em consideração todas as esferas da vida.

Palavras-chave


Extensão Universitária. Intervenção. Agronomia. Acadêmicos.

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.