Polinizadores que visitam a espécie arbórea Myracrodrun urundeuva (Anacardiaceae) na borda oeste do pantanal, Assentamento Taquaral em Corumbá-MS

Valdinei da Conceição, Aline Mackert dos Santos, Cristiano Almeida da Conceição

Resumo


A criação de abelhas no pantanal é uma atividade promissora, visto que neste ecossistema existe uma extensa pastagem apícola e quase absoluta ausência de uso de agrotóxicos. A apicultura e meliponicultura têm ambas potencial e espaço na cidade de Corumbá e região. No entanto, pouco se conhece sobre a pastagem apícola da região e sobre a fauna de abelhas. Este trabalho teve como objetivo realizar observações sobre os polinizadores que visitam a espécie arbórea Myracrodrun urundeuva (Anacardiaceae), conhecida popularmente como aroeira, por ser esta planta uma espécie protegida por lei e excelente fornecedora de recursos florais. As análises mostraram que cinco espécies de abelha sem ferrão utilizam os recursos florais da aroeira, sendo elas: Scaptotrigona depilis, Plebéia sp., Tetragonisca fiebrigi, Trigona chanchamayoensis e Oxytrigona tataíra.

Palavras-chave


Apicultura. Meliponicultura. Trabalho coletivo. Educação Ambiental.

Texto completo:

PDF

Referências


AIDAR, D.S. A mandaçaia: Biologia de abelhas, manejo e multiplicação artificial de colônias de Melipona quadrifasciata Lep. (Hymenoptera, Apidae, Meliponi-nae). Série Monografias 4, Braz, Journ. Genetics, 1996, 104 p.

ALCOFORADO-FILHO, F.G. Caatinga: florística, manejo e sustentabilidade. In: CONGRESSO NACIONAL DE BOTÂNICA,49, Salvador. Resumos, Salvador: UFBA.SBB. 1998, p 437-438.R1030.

CARVALHO, C. A. L. et al. Mel de abelha sem ferrão: contribuição para a caracterização físicoquímica. Cruz das Almas: Universidade Federal da Bahia/SEAGRI-BA. 2005.

KERR, W. E. ; CARVALHO, G.A. & NASCIMENTO, V.A. Abelha Urucu: Biologia, Manejo e Conservação. Ed: Acangaú, Belo Horizonte MG. 1996.

KERR, W. E.; CARVALHO, G. A.; NASCIMENTO, V. A. (1999). The probableconsequencesofthedestructionofBrazilianstinglessbees. In: PADOCH, C.; AYRES, J. M.; PINEDO-VASQUEZ, M.; HENDERSON, A. (eds.) Várzea: diversity, development and conservation of Amazonia’s whitewater floodplains. Section 6: The case of the vanishing stingless bee. New York. The New York Botanical Garden Press. p. 393-403.

MICHENER, C.D. The bees of the world. Baltimore. Johns Hopkins Press, 2000.

REIS, V. D. A.; FILHO; J. A. C. Importância da Apicultura no Pantanal Sul-Mato-Grossense; Documentos 56; Embrapa Pantanal. Corumbá, MS, 2003.

SEBRAE, Nacional (2009) (Brasília, DF) PAS Indústria. Manual de Segurança e Qualidade para Apicultura. Brasília: SEBRAE/NA. PAS Mel 86p.

SILVEIRA, F. A.; MELO, G. A. R.; ALMEIDA, E. A. B. Abelhas Brasileiras: Sistemática e Identificação. 1ª ed. Belo Horizonte: Editoração Eletrônica Composição e Arte. 2002. 253p.

VELTHUIS, H. W. Biologia das abelhas sociais sem ferrão. São Paulo, EDUSP.1997, 33p.

WILLMS, W.; IMPERATRIZ-FONSECA, V. L.; ENGELS, W. Resource partitioning between highly eusocialbees and possible impact of the introduced Africanized honey bee on native stingless bees in the Brazilian Atlantic Rainforest.Studies on neotropical fauna and environment. v. 31, p. 137-151, 1996.




DOI: https://doi.org/10.30612/re-ufgd.v6i12.10782

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.