Aquicultura como ferramenta de interação entre Universidade e Sociedade

Daniele Menezes Albuquerque, Eloísa de Arruda Herrig, Fabiana Cavichiolo

Resumo


A aquicultura define-se pelo cultivo de organismos que possuem ao menos uma fase da vida na água, dispõe de diversas modalidades dependendo do tipo de organismo e a água que são cultivados. Embora, na última década, tenha ocorrido no Brasil um grande incentivo voltado a conservação do meio ambiente com importantes avanços tecnológicos na produção de alimentos de origem animal, ainda sim a aquicultura é uma atividade que pode gerar impactos significativos sobre o meio ambiente. Assim, o projeto de interação entre universidade e sociedade vem sendo desenvolvido por 20 acadêmicos do curso de Engenharia de Aquicultura da Universidade Federal da Grande Dourados-UFGD na cidade de Dourados no Mato Grosso do Sul. Antes de dar início a ações, os acadêmicos passaram por um treinamento afim de elaboração das atividades, do cronograma e das técnicas de como interagir com o público. Deu-se início ao projeto na Escola Municipal Professor Manoel Santiago de Oliveira, com atividades lúdicas envolvendo oficina de reciclagem, conscientização do uso racional da água e Dia Mundial do Meio Ambiente. Em seguida foi aplicado um questionário e distribuídos panfletos orientativos sobre o consumo de peixes, no período da Semana Santa durante a 14º Festa do Peixe no Parque Rego D’água na cidade de Dourados-MS. Os resultados foram avaliados conforme a participação dos envolvidos. Conclui-se que as atividades lúdicas despertaram o interesse sobre o consumo de peixes. Bem como as atividades realizadas despertaram uma diminuição do consumo e assim a emissão de resíduos sólidos ao meio ambiente.

Palavras-chave


Conscientização. Extensão Rural. Meio Ambiente.

Texto completo:

PDF

Referências


BRITO, F. O deslocamento da população brasileira para as metrópoles. Revista Estudos Avançados, v.20, n.57, p.221-236, 2006.

BUAINAIN, A. M. Agricultura familiar, agroecologia e desenvolvimento sustentável: questões para debate. Brasília: Instituto Interamericano de Cooperação para Agricultura (IICA), 2006. 136p.

CARVALHO, I. C. M. Educação ambiental: a formação do sujeito ecológico. 2.ed. São Paulo: Cortez, 2006.

DUTRA, F.M.; BINOTTO, E.; MAUAD, J.R.C. Uma análise do comportamento do consumidor de peixe em Dourados/MS. Sociedade e desenvolvimento rural, v. 8, n. 2, 2014.

ELER, M. N.; MILLANI, T. J. Métodos de estudos de sustentabilidade aplicados a aquicultura. Revista Brasileira de Zootecnia, v. 36, p. 33-44, 2007.

FAO. The State of World Fisheries and Aquaculture 2018 (SOFIA) - Meeting the sustainable development goals. Rome: Food and Agriculture Organization, 2018, 227p.

MS PEIXE. Cooperativa de Aquicultores de Mato Grosso do Sul. Dourados: 2013. Disponível em: . Acesso em: 02/12/2019.

OLIVEIRA, J.M. O peixe e a saúde: das recomendações para o consumo às possibilidades ambientais de atende-lo. Segurança alimentar e nutricional, v. 20, n. suplementar, p. 141-146, 2013.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS (ONU). Guia sobre Desenvolvimento Sustentável: 17 Objetivos para transformar o nosso mundo. Disponível em . Acesso em: 02 nov. 2019. Peixe BR. Anuário da Piscicultura 2019. Peixe BR – Associação Brasileira da Piscicultura, São Paulo, 2019.

RIBEIRO, R.C.; BARROS, L.A.; PIRES, C.R.F.; KATO, H.C.A.; SOUSA, D.N. Avaliação do consumo de peixes no município de Palmas – TO. Boletim de Indústria Animal, v. 75, n. suplementar, p. 1-11, 2018.

SPIRONELLO, R.L.; TAVARES, F.S.; SILVA, E.P. Educação ambiental: da teoria à prática, em busca da sensibilização e conscientização ambiental. Revista Geonorte, v. 3, n. 4, p. 140-152, 2012.




DOI: https://doi.org/10.30612/re-ufgd.v6i12.10553

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.