Uma conversa sobre atravessamentos e pacificações Avá Guarani/Ñandeva de Porto Lindo (Jakarey) Yvy Katu sobre a invenção branca de desenvolvimento

Yan Leite Chaparro, Joaquim Adiala Hara, Josemar de Campos Maciel

Resumo


O artigo que segue é um recorte de uma pesquisa de doutorado que tem como objetivo pensar as questões do “desenvolvimento” com os Avá Guarani/Ñandeva do território Porto Lindo (Jakarey) Yvy Katu, situado no sul do Mato Grosso do Sul, a beira do rio Iguatemi no município de Japorã/MS, fronteira como o Paraguai. Pesquisa que compreende os Avá Guarani/Ñandeva como uma sociedade própria que está em simetria com a sociedade capitalista/moderna, em simetria, pois ambas são sociedades que possuem suas cosmologias, organizações sociais, modos de existir e modos de vida. Em simetria, mas que tecem caminhos contrários como organizações que produzem a realidade. Nesse sentido, o recorte apresentado é um conversa reflexiva com um pesquisador Avá Guarani/Ñandeva que permite o levantamento de críticas, inversões e questionamentos sobre o tema ainda em aberto do “desenvolvimento”, ou melhor, a invenção branca do desenvolvimento.


Palavras-chave


Os Avá Guarani/Ñandeva. Porto Lindo (Jakarey) Yvy Katu. O “desenvolvimento”.

Texto completo:

PDF

Referências


ALBERT, Bruce e RAMOS, Alcida. (org). 2002. Pacificando o branco: cosmologias do contato no norte amazônico. Apresentação de Manuela Carneiro da Cunha. São Paulo. Editora Unesp.

BARRETO, João e SANTOS, Gilton. 2015. De peixes e homens: por uma outra antropologia. Les Temps Modernes. Paris.

CLASTRES, Pierre. A Sociedade Contra o Estado. 2012. Tradução de Theo Santiago. São Paulo. Cosac & Naify.

CLASTRES, Pierre. 2014. Investigaciones en antropologia política. Tradução de Estela Campos. 2014. Barcelona. Gedisa Editora.

DERRIDA, Jacques. 1994. A voz e o fenômeno. Rio de Janeiro. Editora Zahar.

FURTADO, Celso. 1974. O mito do desenvolvimento econômico. Rio de Janeiro. Editora Paz e Terra.

GALLOIS, Dominique. 2008. Quem atrapalha o desenvolvimento? Revista Cadernos de Campo, São Paulo. n. 17.

LANDA, Beatriz. 2005. Os Ñandeva/Guarani e o uso do espaço na terra indígena Porto Lindo/Jakarey, município de Japorã/MS. Tese de Doutorado em História. PUC/RS.

LATOUR, Bruno. 2008. Jamais Fomos Modernos. 4ª. Reimpressão. Tradução de Carlos Irineu da Costa. Rio de Janeiro. Editora 34.

MACIEL, Josemar. 2017. Hospitalidade e desenvolvimento: por uma pequena conversação. Trabalho final de pós-doutorado. São Paulo. Universidade de São Paulo.

MARTINS, Eliezer. e MOURA, Noêmia. 2001. Da perda à luta pela retomada do Tekoha Yvy Katu: o ciclo da erva-mate ao ciclo do soja (1940-2010). Anais VI Seminários Povos Indígenas e Sustentabilidade. Universidade Católica Dom Bosco.

MURA, Fábio. (Coord. Do GT); ALMEIDA, Rubem F.T. 2002. Relatório antropológico de revisão de limites da T.I. Porto Lindo (Jakarey): Terra Indígena YVY KATU. Portaria n. 724/PRES.

RIST, Gilbert. 2012. El desarrollo: historia de una creencia occidental. Madrid. Editora Catarata.

TAUSSIG, Michael. Xamanismo, colonialismo e o homem selvagem: um estudo sobre o terror e a cura. Tradução de Carlos Eugênio Marcondes de Moura.1993. São Paulo. Editora Paz e Terra.

VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. 2015. Metafísicas Canibais: elementos para um antropologia pós-estrutural. São Paulo. Cosac & Naify.




DOI: https://doi.org/10.30612/nty.v7i10.10308

________________________________________________________________________

ISSN 2317-8590 (O código ISSN é único para todas as edições)
Todos os direitos reservados ao Programa de Pós-Graduação em Antropologia - PPGAnt/UFGD
UFGD - Universidade Federal da Grande Dourados
FCH - Faculdade de Ciências Humanas
Rodovia Dourados-Itahum, Km 12 - Caixa Postal 533 - Cidade Universitária
Dourados-MS (Brasil) - CEP 79804-970

  

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.