Velho, novo e novíssimo: a Comuna de Paris nos escritos de Antonio Gramsci

Sabrina Miranda Areco

Resumo


Este artigo propõe uma reconstrução da abordagem de Antonio Gramsci acerca da Comuna de Paris (1871). O tema foi tratado por Gramsci a partir de duas premissas principais. Primeiro, o evento foi abordado como parte da análise da França e sua história revolucionária, não limitado portanto a um elemento episódico mas inserido em uma longa trajetória que se iniciou no século XVIII. O outro ponto de partida, ligado ao primeiro, foi considerar o terreno social histórico francês como um “laboratório” no qual se desenvolveram e foram aprimorados os mecanismos de exercício da hegemonia, no que as revoltas de 1848 e 1870 tiveram papel essencial. Dessa forma, a Comuna ajuda a refletir sobre a elaboração do conceito de hegemonia em Gramsci. O artigo reconstrói tal elaboração em Gramsci centrando-se na análise dos Quaderni del carcere, buscando ainda explorar os nexos entre a teoria política gramsciana e sua análise da história, em particular, da história francesa.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.30612/mvt.v4i07.8430

ISSN Eletrônico: 2358-9205

 

Indexadores:

                 

 

 

 

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.