A autogestão de um ponto por mototaxistas clandestinos

Leone Araújo Rocha

Resumo


O artigo pretende oferecer um relato etnográfico dos meios utilizado por uma equipe de mototaxistas clandestinos para gerir um ponto onde os membros da equipe aguardam pela oportunidade de realizar uma corrida. O fato de realizarem seu serviço clandestinamente não impede a sua organização, o que bem comprovam os estudos realizados pela Economia Informal, e esta organização é autônoma e independente das regulações estatais, dando origem a um grupo com forte atividade social, permeada de regras, costumes e práticas de interação, fazendo com que, a partir do ponto, se forme uma comunidade que dá suporte a sujeitos que estão alijados de meios legais de sobrevivência

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.