Dupla maternidade no Instagram: entre fotos, ativismo e parentesco

Anna Carolina Horstmann Amorim

Resumo


Este trabalho busca apresentar reflexões sobre a internet enquanto um espaço frutífero para a formação de redes de relações específicas que produzem, de modo acentuado, impactos sobre a formação de identidades de mulheres lésbicas e sobre processos relacionados à construção de maternidades partilhadas por casais de mulheres cisgêneras não heterossexuais. Para tal, foram elencadas e seguidas três hashtags que tocam diretamente no tema das maternidades de mulheres lésbicas e que são utilizadas na rede social Instagram, são elas: #duplamaternidade, #mãeslésbicas e #maternidadelésbica. Através das postagens de fotos com tais legendas observei como a rede social tem sido utilizada como ferramenta para movimentação social em torno da possibilidade real de mulheres lésbicas construírem projetos familiares e de filiação. Neste sentido, não se pode deixar de falar que estas postagens referenciam práticas
familiares e paretalidades que contribuem para um estremecimento de fronteiras excessivamente rígidas e
fixas no tocante as formas familiares, demonstrando que a norma heterocentrada de família é possível de ser questionada, ganhando relevo neste cenário virtual, não por isso menos real, a construção política de identidades e maternidades. O universo das redes sociais, constitui desta forma, importante espaço de movimentação e ativismo em prol da lesboparentalidade.

Palavras-chave


Lesboparentalidade. Instagram. Ativismo.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Miguel Vale de. O casamento entre pessoas do mesmo sexo. Sobre “gentes remotas e estranhas” numa “sociedade descente”. In: Conjugalidades, Parentalidades e identidades Lésbicas, Gays e Travestis. Miriam Grossi, Anna Paula Uziel e Luiz Mello (orgs). Rio de Janeiro: Garamond, 2007.

ALMEIDA, Miguel Vale de. A chave do armário: homossexualidade, casamento e família. Florianópolis: Editora da UFSC, 2010.

CARSTEN, Janet. The substance of kinship and the heat of the hearth: Feeding, personhood and relatedness among Malays of Pulau Langkawi. American Ethnologist, n. 22 (2), p.223–241, 1995.

CARSTEN, Janet. Cultures of relatedness: New approaches to the study of kinship. Cambridge: Cambridge University Press. 2000.

DARIUS, Mérylis ; DÉCHAUX, Jean-Yves. Les deux mères. Familles homoparentales féminines en France. In : Parenté Contemporaines, Journal des anthropologues, Paris: Association française des Anthropologues, n. 144-145, p. 123-146, 2016.

FELIPE, Mariana Gonçalves. Maternidade lésbica por meio de inseminação caseira: dinâmicas e processos de escolha dos doadores nas redes sociais. Monografia (Bacharelado em Ciências Sociais) da Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2019.

FONSECA, Cláudia. De Afinidades a Coalizões: uma reflexão sobre a “transpolinização” entre gênero e parentesco entre décadas recentes da Antropologia. Ilha Revista de Antropologia. Florianópolis: UFSC, vol. 05, n. 2, Dez. 2003

FONSECA, Cláudia. Homoparentalidade: novas luzes sobre o parentesco. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 16, n. 3, Dec. 2008.

GROSSI, Miriam. Gênero e Parentesco: famílias gays e lésbicas no Brasil. Cadernos Pagu, Campinas, n.21, 2003.

GROSSI, Miriam; UZIEL, Anna Paula; MELLO, Luiz. Introdução. Conjugalidades e parentalidades não hegemônicas: um campo em construção. In GROSSI, M.; UZIEL, A. P; MELLO, L.(org). Conjugalidades,parentalidades e identidades lésbicas, gays e travestis. Rio de Janeiro: Garamond, 2007.

GUIMARÃES JUNIOR, Mario. O ciberespaço como Cenário para as Ciências Sociais. Revista Ilha, Florianópolis: UFSC, n.1, dez. 2000.

HAYDEN, Corinne. Gender, genetics and generation: Reformulating biology in lesbian kinship. Cultural Anthropology, v. 10, n. 1, p. 41-6, 1995.

LEWIN, Ellen. Negotiating Lesbian Motherhood: The Dialectics of Resistance and Accommodation. In: GLEMM, N.; CHANG, N.; FORCEY, N. Mothering: Ideology, Experience, and Agency. New York/London: Routledge, 1994.

LUNA, Naara. Novela e Biotecnologia: os pais de ‘O Clone’ segundo mulheres em tratamento de infertilidade. In: GROSSI, Miriam; PORTO, Roseli; TAMANINI, Marlene. (orgs.). Novas Tecnologias Reprodutivas Conceptivas: questões e desafios. Brasília: Letras Livres, 2003, p.53-68.

MASSA, Jimena Maria. “Restituição de identidades” e (re)construção de parentesco em casos de “netos/as apropriados/as” pela ditadura militar argentina. 2016. 390f. Tese (Doutorado em Antropologia Social) - Pós-graduação em Antropologia Social, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2016.

MEDEIROS, Camila Medeiros. Sobre deveres e prazeres: estudos acerca de mulheres que se assumiram lésbicas depois de terem sido mães. Trabalho de conclusão de curso (Bacharelado em Ciências Sociais) apresentado ao Departamento de Ciências Sociais do Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federald e Santa Catarina, Florianópolis, 2004.

MELLO, Luiz. Outras famílias: a construção social da conjugalidade homossexual no Brasil. Cadernos Pagu, Campinas, n. 24, jun. 2005.

PAIVA, Antônio Crístian Saraiva. Reserva e Invisibilidade: A construção da Homoconjugalidade numa perspectiva micropolítica. In: Conjugalidades, Parentalidades e identidades Lésbicas, Gays e Travestis. Miriam Grossi, Anna Paula Uziel e Luiz Mello (orgs). Rio de Janeiro: Garamond, 2007.

PIZA, Mariana Vassalo. O fenômeno do Instagram: considerações sob a perspectiva tecnológica. Monografia (bacharelado em Ciências Sociais) Universidade de Brasília, Brasília, 2012.

ROUDINESCO, Elizabeth. A família em desordem. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2003. 199 pp.

SCHNEIDER, David. American Kinship: a cultural account. New Jersey: Prentice-Hall, 1980.

SCHNEIDER, David. A critique of the study of kinship. Ann Arbor: University of Michigan Press. 1984.

SEGATA, Jean. Antropologia no Ciberespaço. Coluna, n 42., 2008. Disponível em: http://www.antropologia.com.br/colu/colu42.htm. Acesso em 17 nov. 2019.

SOUZA, Érica R. Necessidade de filhos: Maternidade, família e (homo)sexualidade. Tese de doutorado em Ciências Sociais. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, UNICAMP. Campinas, 2005

STRATHERN, Marilyn. Reproducing the future: essays on anthropology, kinship and the new reproductive technologies. Manchester: Manchester university Press, 1992.

TARNOVSKI, Flavio. Être père et homosexuel dans la France contemporaine. Tese (Doutorado em Antropologia Social) École des Hautes Études en Sciences Sociales. Toulouse, 2010.

TARNOVSKI, Flavio. Homoparentalidade à brasileira: paternidade homossexual em contextos relacionais. In: CÁCERES, C.F.; MOGOLLÓN, M.E.; PÉREZ-LUNA, G.; OLIVOS, F. (orgs). Sexualidade, ciudadanía y derechos humanos en América Latina. Lima: IESSDEH, UPCH, 2011, p. 69-75.

UZIEL, Anna Paula. Homossexualidade e adoção. Rio de Janeiro: Garamond, 2007.

VELHO, Gilberto. Projeto, Emoção e Orientação em Sociedades Complexas. In Individualismo e Cultura: Notas para uma Antropologia da Sociedade Complexa. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1999.

WESTON, Kate. Families We Choose: Lesbians, Gays, Kinship. Columbia University Press, New York, 1991.




DOI: https://doi.org/10.30612/mvt.v6i10.10709

ISSN Eletrônico: 2358-9205

 

Indexadores:

                 

 

 

 

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.