Entre o Ceará Grande e o Rio Grande do Norte: elevação da Vila de Portalegre e agências indígenas (1761-1768)

Ristephany Kelly da Silva Leite

Resumo


Para compreender as transformações culturais que ocorreram na América Portuguesa, precisamos entender as dinâmicas estabelecidas pelo contato entre diversos grupos distintos durante o período colonial e as leis e diretrizes que regimentam esta sociedade. Para tanto, pretende-se, neste trabalho, apresentar a legislação conhecida como Diretório pombalino, que determinou a elevação dos antigos aldeamentos missionários à vilas de índios, analisando a formação da Vila de Portalegre, a partir da transferência dos índios da Missão do Apodi - localizada na ribeira do rio Apodi - e dos índios Paiacú de Montemor, o novo da América para a Serra do Regente, onde atualmente está localizada a cidade de Portalegre, no estado do Rio Grande do Norte, percebendo como os diferentes atores sociais reagiram às determinações régias.

Palavras-chave


Vilas de índios. Diretório pombalino. Paiacú. Portalegre.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Maria Regina Celestino de. Metamorfoses indígenas: identidade e cultura nas aldeias coloniais do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2003.

ALMEIDA, Maria Regina Celestino de. O lugar dos índios na história: dos bastidores ao palco. In:______. Os índios na História do Brasil. Rio de Janeiro: FGV, 2010, p. 13-28.

ALMEIDA, Rita Heloísa de. O Diretório dos Índios: um projeto de “civilização” do Brasil do século XVIII. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1997.

ASSIS, Nívia Paula Dias de. A Capitania de São José do Piahuí na racionalidade espacial pombalina (1750-1777). Dissertação (mestrado em História). Natal: UFRN, 2012.

AZEVEDO, Anna Elizabeth Lago de. O Diretório Pombalino em Pernambuco. Dissertação (Mestrado em História). Recife: UFPE, 2004.

BEOZZO, José Oscar. Leis e Regimentos das Missões. Política indigenista no Brasil. São Paulo: Loyola, 1983.

CANCELA, Francisco. De projeto a processo colonial: índios, colonos e autoridades régias na colonização da antiga Capitania de Porto Seguro (1763-1808). 2012. 337 f. Tese (Doutorado em História) – Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal da Bahia, 2012.

CASCUDO, Luís da Câmara. História do Rio Grande do Norte. 2ª ed. Natal; Rio de Janeiro: Fundação José Augusto; Achiamé, 1984.

CHAVES JR, José Inaldo. As capitanias de Pernambuco e a construção dos territórios e das jurisdições na América portuguesa (século XVIII). Tese (Doutorado em História) –Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2017.

CHAVES JR, José Inaldo. Reforma dos territórios e das jurisdições nas capitanias do Norte do Estado do Brasil: as atuações do capitão-general Luís Diogo Lobo da Silva e do “juiz de fora” Miguel Carlos de Pina Castelo Branco na aplicação do Diretório dos índios (1757-1764). Locus-Revista de História, v. 24, n. 1, 2018.

CUNHA, Elba Monique Chagas da. Sertão, sertões: colonização, conflitos e História Indígena em Pernambuco no período pombalino (1759 –1798). Dissertação (Mestrado em História) - Programa de Pós-Graduação em História Social da Cultura Regional - UFRPE, 2013.

HESPANHA, António Manuel. As vésperas do Leviathan. Instituições e poder político. Portugal — Séc. XVII. Coimbra: Almedina, 1994.

LITTLE, Paul E. Territórios sociais e povos tradicionais no Brasil: por uma antropologia da territorialidade. Anuário Antropológico, Rio de Janeiro, v. 2003, p. 251-290, 2005.

LOPES, Fátima Martins. A Vila de Portalegre: povos e instituições. In: CAVALCANTE, Maria Bernadete; DIAS, Thiago Alves. Portalegre do Brasil: História e desenvolvimento - 250 anos de fundação de Portalegre. Natal: EDUFRN, 2010.

LOPES, Fátima Martins. Em nome da liberdade: as vilas de índios do Rio Grande do Norte sob o diretório pombalino no século XVIII. Rio de Janeiro: PUBLIT, 2015.

MAIA, Lígio de Oliveira. Povos indígenas no crepúsculo setecentista na capitania do Ceará: “invisibilidade”, agência indígena e reelaboração cultural. Mneme - Revista de Humanidades, v. 15, n. 35, p. 111-136, 17 out. 2015.

MAIA, Lígio de Oliveira. Serras de Ibiapaba. De aldeia a vila de índios: vassalagem e identidade no Ceará colonial – século XVIII. Tese (doutorado em História), Universidade Federal Fluminense, 2010.

MARCIS, Teresinha. A integração dos índios como súditos do rei de Portugal: uma análise do projeto, dos autores e da implementação na Capitania de Ilhéus, 1758-1822. Tese (Doutorado em História) – Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2013.

MEZA, Elis; FERREIRA, Lúcio Menezes. Agencia Indígena y Colonialismo: una arqueología de contacto sobre la producción de aceite de tortuga en el Orinoco Medio, Venezuela (siglos XVIII Y XIX). Amazônica - Revista de Antropologia, [S.l.], v. 7, n. 2, p. 375-402, jul. 2016. ISSN 2176-0675. Disponível em: https://periodicos.ufpa.br/index.php/amazonica/article/view/3452. Acesso em: 10 set. 2018. doi: http://dx.doi.org/10.18542/amazonica.v7i2.3452.

NAUD, Lêda Maria Cardoso. Documentos sobre o índio brasileiro (1500-1822). Revista de Informação Legislativa. Brasília, vol. 7, n.28, 1970.

NAUD, Lêda Maria Cardoso. Documentos sobre o índio brasileiro (1500-1822). Revista de Informação Legislativa. Brasília, vol. 8, n.29, 1971.

OLIVEIRA. João Pacheco de. Uma etnologia dos “índios misturados”? Situação colonial, territorialização e fluxos culturais. Mana – Estudos de Antropologia Social, v. 4, n. 1, Rio de Janeiro, 1998.

PERRONE-MOISÉS, Beatriz. “Índios livres e índios escravos: os princípios da legislação indigenista do período colonial (séculos XVI a XVIII)”. In: CUNHA, Manuela Carneiro da (org.). História dos índios no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras/FAPESP, 1992, pp. 115-131.

SILVA, Isabelle Braz Peixoto da. Vilas de Índios no Ceará Grande: Dinâmicas locais sob o Diretório Pombalino. Campinas: Pontes Editores, 2005.

SILVA, Kalina Vanderlei Paiva da. 'Nas solidões vastas e assustadoras': os pobres do açúcar e a conquista do sertão de Pernambuco nos séculos XVII e XVIII. Tese (Doutorado em História) Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal de Pernambuco. Recife, 2003.

STUDART, Guilherme. Notas para a História do Ceará. Brasília: Edições do Senado Federal, 2004. V. 29.

THOMPSON, Edward P. Folclore, Antropologia e História Social. In: ______. As peculiaridades dos ingleses e outros artigos. São Paulo: UNICAMP, 2001, p. 227-268.




DOI: https://doi.org/10.30612/rehr.v13i25.9630

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.