Das praças da cidade à arena multiuso: um percurso pelos espaços que sediaram os jogos de futebol oficiais da cidade de fortaleza/CE

Ingryd Melyna Dantas da Silva

Resumo


O início da prática do futebol no estado do Ceará guarda semelhanças com o implante nacional. Percebemos que rapidamente os fortalezenses se afeiçoaram ao futebol e logo traçaram estratégias para driblar as dificuldades que se apresentaram para praticá-lo. Os primeiros campos foram as praças da cidade, mas logo surgiu a necessidade de construção de um local próprio. Assim, ao longo dos anos foram edificadas quatro praças esportivas na cidade. Diante disso, neste trabalho iremos realizar um percurso pelos espaços que sediaram os jogos de futebol oficiais em Fortaleza; apresentar as principais características da estrutura dessas praças esportivas; e, versar sobre como o novo modelo das praças esportivas afetam as práticas torcedoras. Para melhor análise do objeto, utilizamos a abordagem qualitativa. Quanto aos procedimentos, adotamos a pesquisa bibliográfica e a documental.

Palavras-chave


Futebol. Estádios. Arena. Fortaleza.

Texto completo:

PDF

Referências


BERNAL, Maria Cleide Carlos. A metrópole emergente: a ação do capital imobiliário na estruturação urbana de Fortaleza. Fortaleza: Editora UFC/Banco do Nordeste do Brasil S.A, 2004.

BERNAL, Maria Cleide Carlos. O Turismo Global e seus Impactos na Costa Nordestina. In: BERNAL, Maria Cleide Carlos (Org.). A Economia do Nordeste na Fase Contemporânea. Fortaleza: Banco do Nordeste do Brasil, 2006. p. 305-326.

BUFORD, Bill. Entre os vândalos: a multidão e a sedução da violência. Trad. Júlio Fischer. São Paulo: Companhia das letras, 2010.

COSTA, Giuliana. Sediar megaeventos esportivos vale a pena? Revista O Social em questão: grande eventos e seus impactos sociais. Rio de Janeiro: Editora PUCRIO, Ano 16, n.29, p. 159-178, 2013.

FARIAS, Airton. Ceará: Uma história de paixão e glória. Fortaleza: Armazém da cultura, 2014. Coleção Onzena.

LACERDA, Leandro Sader; MELLO, João Carlos Correia Baptista Soares; GOMES JÚNIOR, Silvio Figueiredo. Um estudo multicritério para a escolha das cidades-sedes para a Copa do Mundo FIFA 2014. Revista Eletrônica Pesquisa Operacional para o Desenvolvimento, Rio de Janeiro, RJ, v.5, n.1, p. 100-112, jan./abr. 2013. Disponível em: . Acesso: 19 out. 2017.

LIGIÉRO, Zeca (Org.). Performance e antropologia de Richard Schechner. Trad. Augusto Rodrigues da Silva Júnior. Rio de Janeiro: Mauad X, 2012.

LUIS, Rafael. Cidade e futebol: a nossa bola. O Povo, Fortaleza, 28 mai. 2006. Revista Fortaleza 280 anos. p. 1-16.

MARICATO, Ermínia. Para entender a crise urbana. São Paulo: Expressão Popular, 2015.

MASCARENHAS, Gilmar. O direito ao Estádio. Puntero Izquierdo – Midium: causos de canchas, Brasil: 1 abr, 2015. p. 1-18. Disponível em: https://medium.com/punteroizquierdo/odireitoaoest%C3%A1dioae73eb43848f. Acesso: 21 maio. 2017.

PIMENTA, Carlos Alberto Máximo. Torcidas Organizadas de Futebol: violência e autoafirmação: aspectos da construção das novas relações sociais. Taubaté: Vogal Editora, 1997.

SANTOS, Tarcyanie Cajueiro. Dos espetáculos de massa às torcidas organizadas: paixão, rito e magia no futebol. São Paulo: Annablume, 2004.

SANTOS, Arnaldo. Histórias da Copa do Mundo: 1930 a 2014. Fortaleza: Premius, 2014.

SCHECHNER, Richard. O que é performance? In: ______. Performance Studies: na introduccion. New York e London: Routledge, 2006, cap. 2, p. 28-51/p. 1-25. PDF.




DOI: https://doi.org/10.30612/rehr.v12i24.8662

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.