História das mulheres na arte: autorretrato como escrita de si

Fernanda Reis

Resumo


O presente artigo é parte da Tese de Doutorado intitulada Lídia Baís: Imagens da Transgressão Feminina na História (1920-1940), ainda em processo de escrita. Pretende-se analisar, compreender e problematizar o processo de silenciamento e ocultamento das mulheres na História, bem como, nas Artes Plásticas. Compreender o que determina esse ocultamento feminino na arte ocidental é preocupação primeira desse estudo. No segundo momento pretende-se analisar os mecanismos de resistência e ressignificação do ser mulher através da produção de autorretratos. Compreendemos que a produção de autorretratos nas artes para as mulheres tem um sentido de resistência quando as mesmas se utilizam dele para ressignificar e reescrever suas histórias, bem como o utilizam como um processo de reconhecimento de si.

Palavras-chave


História. Arte. Escrita de si.

Texto completo:

PDF

Referências


BOURDIEU, Pierre. A dominação Masculina. Trad. Maria helena Kühner; 6º Ed., RJ: Bertrand Brasil, 2009.

CHIARA, Ana. Um corpo que vaza: da série Autobiografias e Autorretratos. CHIARA, Ana; SANTOS, Marcelo; VASCONCELLOS, Eliane (Org.). Corpos diversos. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2015.

COLLING, Ana Maria. O currículo de História e as relações de gênero hierarquizadas. Salle. Revista de Educação, Ciência e Cultura v. 15 n. 2 jul./dez. 2010.

ECO, Umberto. A definição de arte; trad. Eliana Aguiar. 1º Ed. Rio de Janeiro: Record, 2016.

FOUCAULT, Michel. A escrita de si. In: O que é um autor? Lisboa: Passagens. 1992.

FOUCAULT, Michel. O corpo utópico/ As heterotopias. São Paulo: n. 1 edições, 2013.

GOMBRICH, Ernst Hans. Arte e ilusão: um estudo ela psicologia ela representação pictórica / Trad. Raul ele Sá Barbosa. 3ºed. São Paulo: Martins Fontes, 1995.

NIETZSCHE, Frederich. O nascimento da tragédia. Trad. Antônio Carlos Braga; São Paulo. Escala: 2013.

NOCHLIN, Linda. Por que não houve mulheres artistas? Trad. Juliana Vacaro. Publication São Paulo; São Paulo: 2016.

PEIRCE, Charles Sanders. Semiótica. Trad. José Teixeira Coelho Neto. 4 ed. São Paulo: Perspectiva, 2010.

PERROT, Michelle. Minha história das Mulheres. 1. ed. ,São Paulo: Contexto, 2008.

TEDESCHI, Losandro Antônio. As mulheres e a história: uma introdução teórico metodológica. Dourados, MS: Ed. UFGD, 2012.

TVARDOVSKAS, Luana Saturino. Dramatização dos corpos: arte contemporânea e crítica feminista no Brasil e Argentina. São Paulo: Intermeios, 2015.




DOI: https://doi.org/10.30612/rehr.v12i23.7928

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.