Laços incertos nas relações políticas entre Brasil e Portugal na década de 1960

Cristina Iuskow

Resumo


Este artigo tem como objetivo tratar da inserção da Revista Luso Brasileira na cidade de Florianópolis nas décadas de 1960 e 1970, publicação catarinense, que circulou entre 1961 e 1979, fundada pelo português Mario Fernandes Dias, emigrado de Portugal para Florianópolis em 1958. Contemplava diversos assuntos desde culinária à vida política de Portugal e do Brasil, entremeados por anúncios de comércio local. Seus mil exemplares eram enviados ainda para Portugal, Angola, Cabo Verde e outras cidades do Brasil. Buscarei aqui compreender as temáticas tratadas pela revista e as relações estabelecidas com os regimes de Portugal e Brasil, nas suas variações políticas, e, além disso, perceber como a publicação se relacionava com a política e comunidade local, por meio do tratamento dos periódicos, percebidos aqui como fonte essencial no estudo da história do tempo presente.

Palavras-chave


História do Tempo Presente. Relações Brasil-Portugal. Imprensa.

Texto completo:

PDF

Referências


ATHAYDE, Tristão de. “Recolonização inconfessada”. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, p.1, 27 de agosto de 1965. ed. 00200. Acesso em 11 mar 2017. Disponível em:

BARBOSA, Marialva. Senhores da memória. In: Intercom - Revista Brasileira de Ciências da Comunicação, v. 18, n. 2 (1995)

BERSTEIN. Culturas políticas e historiografia. In: AZEVEDO, Cecília et al (orgs.). Cultura política, memória e historiografia. Rio de Janeiro: FGV, 2009.

CAPELATO, Maria Helena Rolim. Multidões em cena. Propaganda política no varguismo e no peronismo. Campinas, SP: Papirus, 1998.

CPDOC-FGV. A Era Vargas: dos anos 20 a 1945 - Alceu Amoroso Lima. Acesso em 10 mai 2018. Disponível em:

DE LUCA, Tânia Regina. A Revista do Brasil: um diagnóstico para a (N)ação. São Paulo: Fundação Editora UNESP, 1999.

DE LUCA, Tânia Regina. Leituras, projetos e (Re)vista(s) do Brasil (1916-1944). São Paulo: Editora Unesp, 2011.

KOSELLECK, Reinhart. Estratos do tempo: estudos sobre história. Rio de Janeiro: Contraponto: PUC-Rio, 2014.

MAGALHÃES, José Calvet. Breve história das relações diplomáticas entre Brasil e Portugal. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

MENESES, Filipe Ribeiro de. Salazar: biografia definitiva. São Paulo: Leya, 2011.

MOTTA, Rodrigo Patto Sá. Desafios e possibilidades na apropriação de cultura política pela historiografia. In.: Culturas Políticas na História: Novos Estudos. Belo Horizonte: Argumentum, 2009. p.21.

MOTTA, Rodrigo Patto Sá; REIS, Daniel Aarão; RIDENTI, Marcelo (Org.). A ditadura que mudou o Brasil – 50 anos do golpe de 1964. Rio de Janeiro: Zahar, 2014.

PEIXOTO, Carolina Barros Tavares. Limites do Ultramar Português, possibilidades para Angola: o debate político em torno do problema colonial (1951-1975). (Dissertação) UFF, 2009.

PORTUGAL, Gabinete do Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas Relatório da Emigração, 2013.

RODRIGUES, Weslei Estradiote. “Meu Portugal é a aldeia”: etnografia de uma dinâmica de circulação migratória e práticas transnacionais. (Tese) São Paulo, USP, 2013.

SILVA, Sonia Maria de Meneses. A operação midiográfica: a produção de acontecimentos e conhecimentos históricos através dos meios de comunicação – a Folha de São Paulo e o golpe de 1964. Tese. Doutorado em História. Universidade Federal Fluminense, 2011.

SIRINELLI, Jean-François. Os intelectuais. In.: Por uma história política. 2ed. Rio de Janeiro: FGV, 2003.

SOUSA, Vitor. O Estado Novo, a cunhagem da palavra ‘portugalidade’ e as tentativas da sua reabilitação na atualidade. Estudos em Comunicação. nº 25, vol. 1, 287-312 Dezembro de 2017.

THOMAZ, Omar Ribeiro. “O Bom Povo Português”: Usos e Costumes D´Aquém e D´Além-Mar. MANA 7 (1):55-87, 2001. p. 55-87.




DOI: https://doi.org/10.30612/rehr.v12i23.7676

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.