A fé e a razão: antimaquiavelismo e Buena Razón de Estado no pensamento político espanhol do século XVII

Bruno Silva de Souza

Resumo


Este artigo pretende discutir a relação entre pensamento político e doutrina religiosa. Partindo da análise do que se conhece por buena razón de Estado, formulação alternativa e oposta ao pensamento de Maquiavel, procura-se questionar a teoria da secularização, segundo a qual o ocidente, a partir do limiar da modernidade, teria atravessado um processo de progressiva secularização, resultando em uma configuração que reconhece autonomia entre as diversas esferas da existência. Para tanto, coloca-se em evidência o papel estruturante desempenhado pela fé católica no pensamento político espanhol do século XVII. Neste sentido, veremos como Don Diego Enríquez de Villegas, militar que serviu na corte de Felipe IV e autor de El principe en la Idea (1656), defendia esta submissão da razão de Estado à fé católica.

Palavras-chave


Absolutismo. Razão de Estado. Antigo regime.

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.