Chamada dossiê "A história das mulheres e suas fronteiras"

    O surgimento da História enquanto disciplina, no século XIX, foi marcada por uma história dita oficial e política. Como somente homens brancos, alfabetizados eram políticos ou pertenciam a uma classe dominante, diversos outros personagens que atuaram na vida cotidiana, durante muito tempo foram deixados à margem da historiografia. Por outro lado, novas tendências emergentes na historiografia possibilitaram renovação metodológica e conceitual, levando ao questionamento das universalidades, permitindo a descoberta de outras experiências, entre elas as das mulheres. Uma influência marcante foi a redefinição do político no âmbito do cotidiano, que contribuiu para o resgate das experiências femininas, restituindo a elas a sua própria história.

    Com surgimento da escola dos Annales, na França, no início do século XX, fez com que a ampliação do conceito de fontes, trouxesse para a historiografia esses mesmos personagens, que outrora foram ignorados pelos historiadores, como as mulheres. Os diversos tipos de fontes possibilitaram os/as historiadores/as estudarem as mais variadas representações do cotidiano feminino, bem como suas práticas e resistências em outros tempos. As mulheres foram reintegradas ao passado que, embora nebuloso, encontrava-se repleto de vestígios de seus anseios, de suas articulações, de suas lutas, de suas transgressões e resistências. Analisadas através da inovação e releitura das fontes (processos eclesiásticos e civis, obras literárias, tratados médicos e morais, imprensa, literatura de viagem...) figuravam nas mais variadas abordagens temáticas tais como: corpo, sexualidade, família, moralidade, maternidade, feminismo e construção de estereótipos femininos...

    Pensando nessa perspectiva, o presente dossiê convida @s autor@s  a publicar textos que reflitam  sobre  as histórias de mulheres negras, indígenas, prostitutas, lésbicas, escritoras, fronteiriças, camponesas, operárias... que estiveram à margem da historiografia, mas que ainda, ocupam e resistem nos mais diversos espaços dos “silêncios” da história.

 É sobre esse debate que o dossiê nos convida.

  

ANZALDÚA, Glória. Boderlands/La Frontera: La nueva mestiza. Trad. Carmen Valle. Madri: Capitán Swing, 2016.

DEL PRIORE, Mary (org.) & BASSANEZI, Carla (coord. de textos). História das Mulheres no Brasil. São Paulo: Contexto/Ed. UNESP, 1997, 678 p.

LE GOFF, Jaques. História e memória. Trad. Bernardo Leitão. 5ed. Campinas-SP: Editora da UNICAMP, 2003.

PERROT, Michelle. Os excluídos da história: Operários, mulheres e prisioneiros. Trad. Denise Bottmann. 7ª ed. Rio de Janeiro/São Paulo: Paz e Terra, 2017.