Cartas SAO: índices de sensibilidade ambiental a derrames de óleo e as condições espaciais de uso e ocupação

Antonio Sergio da Silva, José Gilberto de Souza, Cenira Maria Lupinacci da Cunha

Resumo


As Cartas SAO, ou mapas de sensibilidade ambiental ao derramamento de óleo, são ferramentas de planejamento e implementação de ações de resposta em caso de acidentes com óleo. Considerando que as Cartas SAO relacionam-se às análises geológicas, geomorfológicas e biológicas, incluindo as atividades socioeconômicas que caracterizam a ocupação dos espaços e as condições de riscos de derramamento de óleo, o objetivo deste é analisar na literatura internacional e nacional com destaque sobre as condições sociais de reprodução humana em sua lógica de produção e organização do espaço. Observou-se que os trabalhos não integram análises específicas sobre as forma de uso e ocupação do solo, dada a fragilidade da presença de variáveis complementares de análise de informações socioespaciais, necessárias à consolidação de diretrizes de políticas públicas integradas e a mitigação dos impactos sociais.

Palavras-chave


Mapas de sensibilidade ambiental. Ambiente costeiro, terrestre e fluvial. Uso e ocupação do solo.

Texto completo:

PDF

Referências


AGUILAR, R. L. Subsídios geomorfológicos para a avaliação da sensibilidade ambiental ao óleo: o caso do baixo curso do rio Tietê (SP). 2014. 53 f. (Relatório de pesquisa). Universidade Estadual Paulista - Instituto de Geociências e Ciências Exatas de Rio Claro.

ARAUJO, R. A. S. Determinação do índice de sensibilidade do litoral ao derramamento de óleo (ISL) para as regiões Norte e Centro-Norte do estado de Santa Catarina (SC). 2005. 190 f. (Trabalho de conclusão de curso em oceanografia). Universidade do Vale do Itajaí – UNIVALI.

BENEDITTI, C. A.; RIEDEL, P. S.; MILANELLI, J. C. C. Vulnerabilidade ambiental ao óleo em reservatórios: Estudo de caso Reservatório de Barra Bonita-SP. In: VII ENCONTRO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOCIÊNCIAS. 2013. Disponível em: http://igce.rc.unesp.br/Home/Pos-graduacao44/programasdepos/geocienciasemeioambiente/viieppg/caderno-de-resumos-vii-eppgg-2013.pdf. Acesso em: 03 Abr. 2014.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Especificações e normas técnicas para elaboração de cartas de sensibilidade ambiental para derramamentos de óleo. Brasília: Ministério do Meio Ambiente. 2006. 107 p.

CANTAGALLO, C.; GARCIA, G. J.; MILANELLI, J. C. C. Mapeamento de sensibilidade ambiental a derramamentos de óleo do sistema estuarino de Santos, estado de São Paulo. Braz. J. Aquat. Sci. Technol., 2008, p. 33-47.

CASTRO, A. C. F. Determinação dos índices de sensibilidade ambiental ao derramamento de óleo do litoral da Ilha de São Tomé. 2010. 102 f. (Dissertação de Mestrado em Ciências Marinhas Tropicais) Universidade Federal do Ceará. Fortaleza.

GALLO, G. O.; RIEDEL, P. S. Mapeamento da Sensibilidade Ambiental ao Derramamento de Óleo em Ambiente Fluvial: Médio Tietê Inferior. In: VII ENCONTRO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOCIÊNCIAS. 2013. Disponível em: http://igce.rc.unesp.br/Home/Pos-Graduacao44/programasdepos/geocienciasemeioambiente/viieppg/caderno-de-resumos-vii-eppgg-2013.pdf. Acesso em: 03 Abr. 2014.

HAYES, M. O. MICHEL, J.; DAHLIN, J. A. Identifying and mapping sensitive resources for inland area planning. OIL SPILL CONFERENCE. Cleveland, Ohio. 1995. p. 365-371. Disponível em: http://ioscproceedings.org/doi/abs/10.7901/2169-3358-1995-1-365. Acesso em: fev. 2015.

HAYES,M. O. MICHEL, J.; MONTELLO, T. M. The reach sensitivity index (RSI) for mapping rivers and streams. OIL SPILL CONFERENCE. Cleveland, Ohio. 1997. p. 343-350. Disponível em: http://ioscproceedings.org/doi/pdf/10.7901/2169-3358-1997-1-343. Acesso em: fev. 2015.

JENSEN, J. R.; HALLS, J. N.; MICHEL, J. A Systems Approach to Environmental Sensitivity lndex (ESI) Mapping for Oil Spill Contingency Planning and Response. Photogrammetric Engineering & Remote Sensing, Vol. 64, No. 10, October 1998, p. 1003-1014.

LACERDA, C. S. Cartas de Sensibilidade Ambiental a Derramamentos de Óleo – Cartas SAO – para a Costa Oeste da Lagoa dos Patos, RS, Brasil. 2006. 67 f. (Monografia de Graduação). Fundação Universidade Federal do Rio Grande. Porto Alegre.

LIMA M. V.; DIAS-BRITO, D.; MILANELLI, J. C. C. Mapeamento da sensibilidade ambiental a derrames de óleo em Ilha Bela, São Paulo. Revista Brasileira de Cartografia No 60/02, agosto 2008. p. 145-154.

MARTINS, P. T. A.; RIEDEL, P. S.; MILANELLI, J. C. C. Carta de sensibilidade ambiental ao óleo: origem, evolução e tendências. Ciência e Natura. Santa Maria. v. 35 n. 2. 2013. p. 163-175.

MARTINS, P. T. A.; RIEDEL, P. S.; MILANELLI, J. C. C.; STURARO, J. R. Carta da sensibilidade ambiental ao derramamento de óleo em rodovias: aplicação piloto na Estrada dos Tamoios (SP-099), estado de São Paulo. Revista Brasileira de Cartografia 2014. N. 66/1, p. 59-74.

NOAA. National Oceanic and Atmospheric Administration. Environmental Sensitivity Index Guidelines Version 3.0. 2002. 192 p. Disponível em: http://www.noaa.gov/. Acesso em: Nov. 2014.

NOERNBERG, M. A.; ANGELOTTI, R.; CALDEIRA, G. A.; RIBEIRO, A. F. S. Determinação da sensibilidade do litoral paranaense à contaminação por óleo. Braz. J. Aquat. Sci. Technol., 2008, p. 49-59.

OLIVEIRA, S. C. Identificação e mapeamento da dinâmica fluvial com fins à avaliação da sensibilidade ao derrame de óleo. 2013. 47 f. (Relatório de Iniciação Científica) Instituto de Geociências e Ciências Exatas Departamento de Planejamento Territorial e Geoprocessamento. Unesp-Rio Claro.

PERINOTTO, R. R. C. Mapeamento de sensibilidade ao derrame de óleo dos ambientes costeiros dos municípios de São Vicente, Santos e Guarujá - SP. 2010. 208 f. (Dissertação de Mestrado) Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Instituto de Geociencias e Ciencias Exatas. Unesp - Rio Claro.

PERINOTTO. R. R. C.; RIEDEL, P. S.; MILANELLI, J. C. C. Sensibilidade ambiental ao derrame de óleo da linha de costa da Baía de Santos, SP – Brasil. Revista Brasileira de Cartografia. 2010. No 63/4, p. 501-514.

PETTA, R. A.; MEYER, M.; SINDERN, S.; NASCIMENTO, P. S. MARISCO – Monitoramento de áreas de risco e avaliação da sensibilidade ambiental a derramamentos de óleo na Bacia Potiguar Oeste (RN). Anais... II SIMPÓSIO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS GEODÉSICAS E TECNOLOGIAS DA GEOINFORMAÇÃO. Recife - PE, 2008.

PINCINATO, F. L. Mapeamento da sensibilidade ambiental a derramamentos de óleo para a região costeira de São Sebastião e Caraguatatuba, Litoral Norte de São Paulo (SP), com uso de modelagem em SIG de sistema especialista baseado em conhecimento e árvore de decisão. 2007. 63 f. (Dissertação de Mestrado) Universidade Estadual Paulista, Instituto de Geociêcias e Ciências Exatas - UNESP – Rio Claro.

RIBEIRO, D. F. Avaliação da influência das características geomorfológicas na sensibilidade ambiental a derrames de óleo: Estudo de caso no baixo curso do Rio Piracicaba - SP. 2013. 65 f. (Trabalho de Conclusão do Curso em Geografia). Instituto de Geociências e Ciências Exatas – UNESP. Rio Claro.

RIBEIRO, D. F.; CUNHA, C. M. L. Avaliação da influência das características geomorfológicas na sensibilidade ambiental a derrames de óleo: Estudo de caso no baixo curso do Rio Piracicaba – SP. Anais... XV SBGFA, 2013. Disponível em:

http://www.xvsbgfa2013.com.br/anais/trabalhos/Eixo06.pdf#page=478. Acesso em: 05 set. 2013.

ROCHA, N. C. V.; MENDES, A. C. Mapeamento de fontes potenciais de poluição por derramamento de óleo e derivados na zona estuarina do município de Belém-PA. Anais... III SIMPÓSIO DE ESTUDOS E PESQUISA EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS. Belém (PA), 2014. p. 24-33.

ROCHA, T. C. F. Mapeamento da Sensibilidade Ambiental do Litoral de Ubatuba-SP a Vazamentos de Petróleo. 2009. 129 f. (Dissertação de Mestrado). Universidade Estadual Paulista, Campus Rio Claro, Rio Claro, SP.

ROMERO, A. F. Mapa de vulnerabilidade ambiental ao óleo e Cartas SAO. trecho: Praia Grande - Ilha Comprida, litoral paulista. 2009. 142 f. (Tese de doutorado) - Universidade Estadual Paulista, Instituto de Geociências e Ciências Exatas. Unesp – Rio Claro.

ROMERO, A. F.; RIEDEL, P. S; MILANELLI, J. C.; LAMMARDO, A. C. R. Mapa de Vulnerabilidade Ambiental ao Óleo: Estudo de caso na Bacia de Santos, Brasil. Revista Brasileira de Cartografia. v. 63, p. 315-332, 2011.

SILVA, A. M.; MENDES, A. C.; ROCHA, N. C. V. Mapeamento preliminar dos índices de sensibilidade ambiental da faixa litorânea da Ilha de Caratateua, Belém – PA. Anais... X CONGRESSO NACIONAL DE MEIO AMBIENTE. Poços de Caldas, SP. 2013.

SILVA, A. S.; SOUZA, J. G. LEAL, A. C. A sustentabilidade e suas dimensões como fundamento da qualidade de vida. Presidente Prudente. Geografia em Atos. n. 12, v. 1. 2012. p. 22-42.

SILVA, A. S.; SOUZA, J. G. LEAL, A. C. Qualidade de vida e meio ambiente: experiências de consolidação de indicadores em espaço urbano. In: AZEVEDO, T. S. (Ed.). Geografia da Saúde: experiência do Núcleo de Pesquisa sobre Desastre. Novas Edições Acadêmicas. 2013. p. 59-84.

SILVA, M. V. N.; MAIA, L. P. Classificação dos índices de sensibilidade ambiental do litoral de Icapuí-CE. Anais... II Congresso sobre Planejamento e Gestão das Zonas Costeiras dos Países de Expressão Portuguesa. 2003. Disponível em:

http://www.abequa.org.br/trabalhos/gerenciamento_208.pdf. Acesso em: fev. 2015.

SOUZA, J. G. Limites do Território. Agrária. São Paulo. nos 10/11, 2009, p. 99-130.

SPOSITO, M.; WHITACKER, A. M. (Orgs.). Cidade e campo: relações e contradições entre urbano e rural. 1a ed. São Paulo: Expressão Popular. 2006. 248 p.

VASCONCELOS, T. L.; BARBOSA, C. C. A.; VALDEVINO, D. S; SÁ, L. A. C. M. Cartas de sensibilidade ambiental ao derramamento de óleo e sua distribuição no Brasil. III SIMPÓSIO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS GEODÉSICAS E TECNOLOGIAS DA GEOINFORMAÇÃO. Recife - PE, 2010

.

ZENGEL S.; HAYES, M. O.; MICHEL, J.; WHITE, M. Integrated planning from the mountains to the sea: environmental sensitivity mapping in the Caribbean. In: OIL SPILL CONFERENCE. Cleveland, Ohio. 2001. p. 1113-1117.




DOI: https://doi.org/10.30612/el.v10i19.9894

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.