Tendências das pesquisas sobre inclusão na Educação Superior: contribuições da teoria histórico-cultural

Alexandra Ayach Anache, Rosely dos Santos Madruga

Resumo


A inclusão na Educação Superior é um dos frutos da luta de pessoas marginalmente excluídas do processo educacional, especialmente considerando-se esse nível de ensino. Esse movimento resulta de anos de luta contra a discriminação do rótulo de incapacidade ante a sociedade segregadora e excludente. Este artigo se propõe a apresentar as contribuições das produções acadêmicas sobre a concepção de inclusão na Educação Superior. A metodologia de pesquisa é uma revisão sistemática da literatura, alicerçada na pesquisa bibliográfica integrativa. Os loci pesquisados foram os portais do Banco de Teses da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e da Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações (BDTD). Aplicamos o seguinte comando de busca: “teoria histórico-cultural” AND “educação superior” AND “inclusão” OR “deficiência”. O recorte temporal foram os anos 2007 – 2017. Os resultados, analisados com base na perspectiva histórico-cultural, indicam que a inclusão na Educação Superior é um desafio por ser um fenômeno recente no campo educacional e exige pesquisas e mudanças no âmbito da infraestrutura, do currículo, do sistema informativo e na formação do corpo docente e dos profissionais que atuam com os estudantes com deficiência.


Palavras-chave


Estudante com deficiência; Inclusão educacional; Educação Superior; Teoria Histórico-Cultural.

Texto completo:

PDF

Referências


ALCOBA, S. de A.C. Estranhos no ninho: a inclusão de alunos com deficiência na Unicamp. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação. Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Campinas, SP, Brasil, 2008.

AGAPITO, Juliano. A formação inicial de professores na perspectiva da educação inclusiva: um olhar para a diversidade. 2013. 195 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade da Região de Joinville, Joinville.

ANACHE, Alexandra Ayach. A epistemologia qualitativa: contribuições para a pesquisa em educação especial. Revista Intermeio, v. 15 n. 30, 2009.

BRASIL, Censo Escolar Da Educação Básica. 2016: Caderno de Instruções. Brasília. 2016. Disponível em: http://download.inep.gov.br/educacao_basica/educacenso/matricula_inicial/2016/documentos/caderno_de_instrucoes_2016.pdf. Acesso em: 21 out. 2017.

COLACIQUE, Rachel. Acessibilidade para surdos na cibercultura: os cotidianos nas redes e na educação superior online. 2013. 164 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

COUTINHO, Marcia Maria de Azeredo. A inclusão da pessoa com deficiência visual na Educação Superior e a construção de suas identidades. 2011. 104 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Católica Dom Bosco, Campo Grande.

FAÉ, Monick Barbosa Ribeiro. Acesso à Educação Superior: o ponto de vista dos alunos do Ensino Médio com necessidades educacionais especiais. 2015. 91 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória.

FERNANDES, Sandra de Freitas Paniago. A formação de professores de ciências biológicas e a educação inclusiva: uma interface da formação inicial e continuada. 2012. 198 f. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemática) – Universidade Federal de Goiás, Goiânia.

FIELD’S, Karla Amâncio Pinto. Saberes profissionais para o exercício da docência em química voltado para a educação inclusiva. 2014. 195 f. Tese (Doutorado em Química). Universidade Federal de Goiás, Goiânia.

GARCIA, Dorcely Isabel Bellanda. Política Nacional de Educação Especial na perspectiva da educação inclusiva na Região Sul do Brasil. 2015. 275 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Estadual de Maringá, Maringá.

GLAT, Rosana; OMOTE, Sadão; PLETSCH, Márcia Denise. Análise das contingências da produção do conhecimento em educação especial. In: OMOTE, Sadão; OLIVEIRA, Anna Augusta Sampaio de; CHACON, Miguel, Claudio Moriel. Ciência e conhecimento em educação especial. São Carlos: Marquezine & Manzini ABPEE, 2014. p. 25-44.

JANNUZZI, Gilberta de Martino. A educação do deficiente no Brasil: dos primórdios ao início do século XXI. Campinas: Autores Associados, 2004.

JESUS, Ivone das Dores de. Analisando a educação inclusiva no curso de Licenciatura em Geografia da Universidade Estadual do Maranhão. 2012. 98 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Maranhão, São Luís.

LOPES, Betania Jacob Stange. Programa de transição para a vida adulta de jovens com deficiência intelectual em ambiente universitário. 2016. 243 p. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal de São Carlos - UFSCar, 2016.

MACIEL, Carina Elisabeth; ANACHE, Alexandra Ayach. A permanência de estudantes com deficiência nas universidades brasileiras. Educar em Revista, [S.l.], p. 71-86, dez. 2017. Disponível em: http://revistas.ufpr.br/educar/article/view/52924/34098. Acesso em: 5 mar. 2018.

MARTINS, José de Souza. Exclusão social e a nova desigualdade. São Paulo: Paulus, 1997. v. 2.

MATTOS, Beatriz Marques. Deficiência: da conceituação aos posicionamentos de universitários. 2016. 106 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia do Desenvolvimento e da Aprendizagem) – Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências, Bauru.

MICHELS, Julia Graziela Della Justina. A política de educação inclusiva nas instituições de educação superior da região sul de Santa Catarina. 2016. 2016 136 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade do Sul de Santa Catarina, Tubarão.

MODOLON, Joice Rodrigues. Diversidade socioeconômica e educação inclusiva: um estudo de caso na Faculdade de Tecnologia Senac Tubarão – Santa Catarina. 2015. 136 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade do Sul de Santa Catarina, Tubarão, Tubarão.

MOMBERGER, M. M. Inclusão no ensino superior: itinerários de vida de acadêmicos com necessidades educacionais especiais. 2007. 136 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

MONTEIRO, Aline Hygino Carvalho. Inclusão de alunos com necessidades educacionais específicas no IFRJ – Campus Volta Redonda: um estudo de caso das licenciaturas em Física e em Matemática. Brasil. 2014 199 f. Dissertação (Mestrado em Educação, Contextos Contemporâneos e Demandas Populares) – Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica.

MOREIRA, Laura Cereta. Políticas inclusivas no ensino superior: da implantação à concretização. Dimensões pedagógicas nas práticas de inclusão escolar. Marília: ABPEE, 2012. p. 97-108.

OLIVEIRA, Marinalva Silva; RODRIGUES, Lidiane Furtado Ferreira. A inclusão no ensino superior: uma experiência em debate. PRACS: Revista Eletrônica de Humanidades do Curso de Ciências Sociais da Unifap, v. 4, n. 4, p. 17-28, 2011.

OMOTE, Sadão et al. Mudança de atitudes sociais em relação à inclusão. Paidéia, Ribeirão Preto, Ribeirão Preto, v. 15, n. 32, p. 38s7-396, dez. 2004. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?cript=sci_arttext&pid=S0103863X2005000300008&lng=p

t&nrm=iso. Acesso em: 7 ago. 2017.

PRESTES, Zoia Ribeiro. Quando não é a mesma coisa: análise de traduções de Lev Semionovitch Vygotsky no Brasil: repercussões no campo educacional. 2012. 295 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade de Brasília, Brasília.

RAMBO, Carla Patrícia. A inclusão escolar na perspectiva de alunos com deficiência no ensino superior: contribuições da psicologia histórico-cultural. 2010. 152 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Universidade Estadual de Maringá, Maringá.

RIBEIRO, Eveline Borges Vilela. Formação de professores de ciências e educação inclusiva em uma instituição de ensino superior em Jataí-GO. 2011. 107 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Goiás, Goiânia.

ROSSETTO, Elisabeth. Sujeitos com deficiência no ensino superior: vozes e significados. 2010. 234 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

SANTOS, Andreza Souza. Inclusão de estudantes com deficiência nas instituições de ensino superior da cidade do Natal/RN: análise das condições oferecidas no processo seletivo vestibular. 2012. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal.

SILVA JUNIOR, Bento Selau da. Fatores associados à conclusão da educação superior por cegos: um estudo a partir de L. S. Vygotsky. 2013. 287 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Pelotas, Capão do Leão.

SOARES, Ana Cristina Silva. A inclusão de alunos com deficiência visual na Universidade Federal do Ceará: ingresso e permanência na ótica dos alunos, docentes e administradores. 2011. 240 f. Tese (Doutorado) – Pós-graduação em Educação Brasileira. Universidade Federal do Ceará, Fortaleza.

SOUSA, Haila Lopes de. Para lembrar que você existe: um estudo de caso sobre as políticas de inclusão para os estudantes com deficiência na Universidade Federal do Espírito Santo. 2013. 150 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória.

TAVARES, Ana Paula da Paz. Educação especial no ensino superior: acessibilidade no processo de inclusão escolar, a partir de relatos de acadêmicos com deficiência. 2014. 147 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Universidade Estadual de Maringá, Maringá.

VALLE, J. W.; CONNOR, D. J. Ressignificando a deficiência: da abordagem social às práticas inclusivas na escola. Tradução de Fernando de Siqueira Rodrigues. Porto Alegre: AMGH, 2014.

VYGOTSKY, L. S. Fundamentos da defectologia. Madrid: Visor, 1997. (Obras escogidas, t. V.).

VYGOTSKY, L. S. Manuscrito de 1929. Educação & Sociedade, v. 21, n. 71, p. 21-44, 2000.




DOI: https://doi.org/10.30612/eduf.v8i22.9044

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.