A abordagem freireana e a metodologia de Jigsaw: um relato das potencialidades e limitações para o ensino de Química

Jean Carlos Azevedo Penasso, Adriana Marques de Oliveira

Resumo


O presente relato de pesquisa é resultado de uma sequência didática ancorada na perspectiva de Paulo Freire sob a educação humanística como forma de intervenção de mundo, e na aprendizagem cooperativa na qual a metodologia de Jigsaw está inserida. Foi desenvolvida com alunos do primeiro ano do Ensino Médio, de uma escola pública estadual da cidade de Dourados-MS. A temática desenvolvida foi “os raios, relâmpagos e trovões”, na qual se trabalhou alguns conceitos químicos diretamente relacionados ao tema e ao referencial curricular. A pesquisa é de caráter qualitativo e quantitativo, e teve como metodologia de análise de dados a Análise Textual Discursiva (ATD). A partir da análise chegou-se e 2 categorias finais, nas quais deram origem a dois metatextos denominados: 1) Os fenômenos elétricos como agentes interferentes na natureza e na vida humana; 2) Conceitos químicos: campo elétrico, materiais condutores e isolantes. Diante os estudos e análises realizadas, a conciliação da perspectiva humanística com a aprendizagem cooperativa contribuiu para a formação de cidadãos críticos-reflexivos, e possibilitou investigar potencialidades e limitações dos referenciais utilizados durante a atividade.


Palavras-chave


Ensino. Aprendizagem cooperativa. Paulo Freire.

Texto completo:

PDF

Referências


COELHO, J. C.; MARQUES, C. A. Contribuições freireanas para a contextualização no ensino de Química. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 9, n. 1, p. 49-61, 2009.

FIORENTINI, Dario. Pesquisar práticas colaborativas ou pesquisar colaborativamente? In: BORBA, M. C., LOILA, J. Pesquisa Qualitativa em Educação Matemática. Belo Horizonte: Autêntica, 2ª Ed. 2006. FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. Rio de Janeiro, Paz e Terra. 2014 a.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de janeiro. Paz e Terra, 2014b.

GONÇALVES, C. Utilização do formol em alisamento capilar para ensinar conceitos de ligações intermoleculares sob a perspectiva freireana. TCC (Graduação em química) – Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados. 2015.

HEERDT, B.; BRANDT, C. F. Aprendizagem cooperativa/colaborativa com o uso da webquest em aulas de biologia. ANPEDSUL. VII Seminário de pesquisa em educação da Região Sul. Pesquisa em educação e inserção social. UNIVALE. Itajaí. Santa Catarina. 2008.

JOHNSON, D.W.; JOHNSON, R.T.; HOLUBEC, E.J. Los nuevos círculos delaprendizaje: lacooperaciónenel aula y laescuela. Virginia: Aique, 1999.

MORAES, R; GALIAZZI, M.C. Análise Textual Discursiva. ed.Unijuí, 2007.

MOREIRA, H.; CALEFFE, L.G. Metodologia da pesquisa para o professor pesquisador. 2. Ed., Rio de janeiro: Lamparina, 2008.

MÜHL, E. H. Problematização. In: STRECK, D. R.; REDIN, E.; ZITKOSKI, J. J. (Org.) Dicionário Paulo Freire. Belo Horizonte, Autêntica, 2010.

OLIVEIRA, A. M.; RECINA, M. C. P. O ensino de polímeros na perspectiva da educação dialógica com enfoque em CTS. Alexandria Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, v.7, n.1, p.103-126, mai. 2014.

SILVA, E. S. A física dos relâmpagos e dos raios. TCC (Graduação em física) – Universidade Católica de Brasília, Brasília. 2007.

SILVA, V. A. A aprendizagem colaborativa como método de apropriação do conhecimento químico em sala de aula. Dissertação (Mestrado em Educação Em Ciências E Matemática) - Universidade Federal De Goiás, Goiânia. 2011.

TEODORO, D. L.; CABRAL, P. F. O.; QUEIROZ, S. L., Atividade cooperativa no formato Jigsaw: Um estudo no ensino superior de química. Alexandria Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, v. 8, n. 1, p. 21-51, 2015.




DOI: https://doi.org/10.30612/eduf.v7i21.8060

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.