Educação protestante norte-americana e processo civilizador: contribuições para o debate

Cesar Romero Amaral Vieira, Luiz Cândido Martins, Magda Sarat

Resumo


O Brasil do final do século XIX e início do século XX recebeu um grande número de estrangeiros imbuídos de projetos civilizatórios e republicanos, focados em experiências educacionais, especialmente na fundação de colégios e instituições. Neste artigo, pretende-se analisar alguns conceitos sociológicos de Norbert Elias sobre Processos Civilizadores para compreender essa onda civilizatória, em diálogo com os escritos de Alexis de Tocqueville. Considera-se para isto, o modelo educacional norte-americano e protestante que esteve presente no Brasil e, nas concepções dos grupos que aqui chegaram. Empiricamente utilizar-se-á dados de pesquisas acerca da história da educação protestante, realizadas a partir de fontes orais e documentais. Portanto, destaca-se que o modelo educacional norte americano fez parte do ideal civilizatório propalado e aceito, não somente nos discursos, mas nas práticas recorrentes do período -a república em construção- na qual estavam expressas as concepções e propostas de mudanças educacionais e sociais com o intuito de levar o país ao patamar de nação civilizada.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.30612/eduf.v7i19.6997

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.