ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA DO RIO GRANDE DO SUL: DE UM MODELO NACIONAL AO PROTAGONISMO DE UM MODELO ESTADUAL

Vanessa Bellani Lyra, Janice Zarpellon Mazo

Resumo


O presente artigo ocupa-se em tratar do processo de reprodução/produção de modelos formadores, no que tange às similaridades encontradas entre a Escola Nacional de Educação Física e Desportos (ENEFD) e a Escola Superior de Educação Física (ESEF), implantada no estado do Rio Grande do Sul. Nessa direção, os esforços de uma diferenciação se acentuam na medida em que a instituição sul-rio-grandense inicia a criação de preceitos identitários e protagonistas no Estado, dando vazão a uma organização educacional de formação ainda desconhecida nessa realidade. A investigação está assentada na análise de documentos escritos interpretados a partir da técnica da análise documental (PIMENTEL, 2001; LÜDKE E ANDRÉ, 2007; CORSETTI, 2006). Nesse sentido, analisar as bases originais de edificação da ESEF e, ao mesmo tempo, aquelas que tornaram sua sustentação possível de forma singular no Estado, ao longo de 30 anos, possibilitou-nos interpretar a referida instituição em uma dupla função: reprodutora em potencial de um modelo nacional; ao mesmo tempo em que produtora e protagonista de um modelo estadual. Em outras palavras, podemos considerar que a ESEF, influenciada pelos ares pedagógicos da ENEFD, trouxe ao Rio Grande do Sul a tentativa de operacionalizar a releitura e a unificação das condutas pedagógicas então aqui existentes e circulantes.

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.