Pensamento intelectual de Estevão de Mendonça no quadro Chorographico de Matto-Grosso (1906)

Aparecido Borges da Silva

Resumo


Os intelectuais mato-grossenses, entre o final do século XIX e início do XX, perguntavam-se se Mato Grosso seria capaz de civilizar-se; se a exploração das riquezas naturais do território o elevaria à condição de um paraíso moderno no interior do Brasil. Enquanto as obras de viajantes estrangeiros e de intelectuais e dirigentes brasileiros apresentavam o Estado como uma terra distante, de difícil acesso, de esparsa população violenta e incivilizada, os intelectuais locais buscavam elaborar uma imagem positiva sobre a região e seus habitantes. Nesta tarefa destacou-se Estevão de Mendonça, o pioneiro na construção de uma imagem positiva do território e da gente mato-grossense, que contrariasse aquelas produzidas no litoral do país e que pudesse ser apropriada em sala de aula. Este artigo objetivou destacar a importância de seu livro didático, o Quadro Chorographico de Matto-Grosso (1906), e suas contribuições para a história da educação no estado, por se tratar do primeiro compêndio de corografia da região. O livro didático de Estevão de Mendonça permite perceber a emergência de um pensamento intelectual marcado por uma sensibilidade social que traduz, em meio a tantas maledicências sobre Mato Grosso, marcado por uma escrita primorosa, os interesses e anseios das elites mato-grossenses.

Palavras-chave


História da Educação. Livro Didático. Mato Grosso. Estevão de Mendonça.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Decisão n.º 45, de 09 de fevereiro de 1824. Determina que a residência do Presidente da Província de Mato Grosso e a reunião do Conselho da Província tenham lugar na cidade de Cuiabá. Coleção das decisões do governo do Império do Brasil de 1824. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1886.

CHARTIER, R. À beira da falésia: a história entre incerteza e inquietudes. Porto Alegre: EdUFRGS, 2002.

_____. A História Cultural: entre práticas e representações. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1990.

CORRÊA, V. B. Coronéis e bandidos em Mato Grosso (1889-1943). Campo Grande: EdUFMS, 2006.

_____. Estevão de Mendonça. Revista do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso, Cuiabá, a. 71, t. 147, p. 267-268, 1999.

_____. Os Herdeiros de Leverger. Revista do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso, Cuiabá, n. 66, t. 141-142, p. 271-278, 1994.

GALETTI, L. S. G. Sertão, fronteira, Brasil: Imagens de Mato Grosso no mapa da Civilização. Cuiabá: EdUFMT, 2012.

GOMES, A. C. História e historiadores. Rio de Janeiro: FGV, 1999.

JUCÁ, P. R. Imprensa Oficial de Mato Grosso: 170 anos de história. Cuiabá: Aroe, 2009.

MATO GROSSO. Ata da Sessão Extraordinária do Conselho Superior da Instrução Pública. Cuiabá, 06 de outubro de 1905. Disponível em: APMT, Livro 94, Pg. 12 V a 17 V.

_____. Lei Provincial n.º 19, de 28 de agosto de 1835. Declara Cuiabá como Capital da Província de Mato Grosso. Disponível em: http://www.al.mt.gov.br/storage/webdisco/leis/lei_9475.pdf Acesso em: 05 mai. 2016.

_____. Regulamento do Liceu Cuiabano. Cuiabá, 02 de Janeiro de 1903. Disponível em: APMT, Livro 1903, fl. 01 a 24.

MENDONÇA, E. Quadro Chorographico de Matto-Grosso. Cuiabá: Escolas Profissionaes Salesianas, 1906.

SILVA, A. B. Mato Grosso nos Livros Didáticos de História (1889-1930): imaginários e representações. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 2013.

SILVA, P. P. C. Fundação do Instituto Histórico de Mato Grosso. Revista do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso, Cuiabá, a. 66, t. 141-142, p. 241-264, 1994.

ZORZATO, O. Alicerces da identidade mato-grossense. Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, Rio de Janeiro, a. 161, n. 408, p. 419-435, 2000.

_____. Conciliação e identidade: considerações sobre a Historiografia de Mato Grosso (1904-1983). Tese (Doutorado em História). Universidade de São Paulo, São Paulo, 1998.




Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.